20 de outubro de 2020 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
al outubro2
Viagem

Diário de Viagem

Tel Aviv, no melhor estilo Miami, a cidade abriga um linda orla de praia, cheia de prédios com arqui
Tel Aviv, no melhor estilo Miami, a cidade abriga um linda orla de praia, cheia de prédios com arqui - DIVULGAÇÃO
Fort  Atacadista - 21 ANOS

O diretor de marketing das lojas Marisa em São Paulo conta o que tem de bacana para fazer lá pelas paragens de Israel.

   Quando decidi conhecer Israel, muita gente ficou assustada. Era comum as pessoas perguntarem: “Mas por  quê?”, “E a guerra?”, “Você não tem medo de bomba ou de um ataque terrorista?”. Infelizmente, é essa a impressão rasa que a grande maioria das pessoas tem. Localizado no Oriente Médio, na extremidade sudeste do mar Mediterrâneo, Israel é o único estado judeu em todo o mundo. No entanto, engana-se quem pensa que ali existam apenas Judeus. Terra Sagrada para católicos, mulçumanos e afins, Israel abriga uma das maiores diversidades religiosas do mundo, onde as diferenças são ressaltadas e a crença de fato segrega a população.

   Engana-se também quem pensa que viajar a Israel trata-se apenas de uma viagem religiosa. Como um bom “quase judeu” desfrutei dos dias mais quentes e ensolarados que já tive. Indo na contramão da maiora das pessoas, eu e meus pais decidimos abandonar as excursões e alugar um carro para correr o país de Norte a Sul. Devidamente munidos de um GPS alugado na hora no aeroporto, começamos nossa viagem por Jerusalém, principal cidade com pontos religiosos do país. A cidade guarda um tesouro da humanidade – a cidade antiga. É nesse local, inteiro murado, dividido por partes judias, cristãs e muçulmanas que estão localizadas os principais pontos religiosos de maior interesse, como o Muro das lamentações, a Igreja do Santo Sepulcro (onde Jesus teve seus últimos momentos de vida), a Via Crucis (ruas percorridas por Jesus com a cruz) além da espetacular Mesquista de Omar com sua cúpula dourada, que pode ser vista por toda parte alta da cidade. A cidade guarda ainda pontos como a Igreja das Sete Nações, Igreja de Santa Madalena, o Monte das Oliveiras (de onde é possível ter uma vista de tirar o fôlego de Jerusalém), a cidade de David, diversos mosteiros e pontos curiosos como o túmulo de Oskar Schindler.

   Para os religiosos, visitas como as cidades de Nazaré e Belém são fundamentais, pois abrigam os pontos onde o anjo Gabriel apareceu para Maria e o local de nascimento de Jesus Cristo, respectivamente. Agora atenção, pois Belém, assim como Jericó e a Faixa de Gazá são territórios controlados pelas autoridades palestinas e dessa maneira é terminantemente proibido entrar com carros que não sejam locais. A sugestão é alugar um táxi, há milhares deles em Jerusalém com motoristas que falam inglês e por vezes espanhol e pegar a estrada afora. A viagem de uma tarde a Belém, tempo que considero excelente, custa cerca de 80 a 100 doláres.

   Seguindo a viagem e deixando o lado espiritual menos aflorado fui em direção a Tel Aviv. No melhor estilo Miami, a cidade abriga uma linda orla de praia, cheia de prédios com arquitetura Bauhaus. Tel Aviv é uma cidade extremamente heterogênea e viva, é lá que estão localizadas as maiores boates do país, assim como o melhor centro de compras. Não deixe de se aventurar nos mercados populares e na praça Kikar HaMedina onde estão localizados nomes importantes como Gucci, Ralph Lauren, Louis Vuitton e outros. Ponto imperdível da cidade é a região de Jaffa, ou Yaffo, a parte mais antiga da região e estima-se que tenha sido umas das regiões mais antigas de Israel.

   De lá é possível avistar toda a baía de Tel Aviv e conferir a cor cristalina do mar da cidade, além de comer no restaurante Itzik Hagadol (3, Raziel Street - Yafo) que oferece uma verdadeira orgia gastronômica, muito bem servido, com uma série de aperitivos que por si só já satisfazem (o pão pita e o falafel de lá são de acabar com qualquer dieta), mas que vem seguidos de espetinho de carne bovina, frango ou carneiro deliciosos.

   O lugar já é endereço clássico no país, e ir para Israel e não almoçar no restaurante é como ir a Israel e não ir a Jerusalém. Para a sobremesa, o Yogo (esquina da Rothschild e Allenby, em Tel Aviv) é a melhor pedida: Frozen Yogurt delicioso com coberturas que mesmo quem não gosta de frutas consegue resistir. Você ainda pode colocar mel, chocolate, aveia ou cereais e uma enorme variedade de frutas.

   Indo em direção ao Norte de Tel Aviv estão localizadas as cidades de Haifa e Akko que podem ser visitadas no mesmo dia e com pique é possível seguir a viagem em direção ao Mar da Galiléia e dormir em Tiberíades, a maior cidade localizada na região.

   É dessa região que começa a estrada 90, que corta pela costa da Jordânia o país de Norte a Sul, cruzando todo o deserto de Negev, passando por pontos importantes como Massada e principalmente o Mar Morto onde estão localizados diversos Spas que oferecem múltiplos tratamentos de beleza e é claro a possibilidade de boiar no Mar Morto, onde nenhuma espécie de vida consegue viver, sendo o ponto mais baixo da Terra. Se não quiser se entregar aos spas, é possível na região de Ein Gedi parar o carro na estrada e banhar-se nas águas.
Seguindo pela highway 90 no extremo Sul está localizada a cidade de Eilat, menos visitada por não conter nenhum ponto religioso, a cidade foi construída no meio do deserto com hóteis luxuosos e butiques refinadas. Uma espécie de Cancun de Israel, a cidade vale a visita para um dia de descanso na piscina ou praia e para aqueles que adoram parques arqueológicos a visita a cidade de Petra, na Jordânia, é imperdível.

   Local de filmagens como Indiana Jones e Missão Impossível 2, Petra foi eleita recentemente uma das Sete Maravilhas do Mundo e é facilmente possível de ser visitada através de duas horas de viagem de carro pela King’s way (uma das estradas mais antigas da Jordânia). De Eilat pegue um taxi até a fronteira da Jordânia, cruze e contrate o taxi para Petra ali mesmo. Negocie, pois eles são capazes de dar 30% de desconto do preço original.

   Por ser um território pequeno e extremamente fácil, a locomoção por carro é extremamente prazerosa e fácil, pois todas as placas são tri-língues (hebraico, árabe e inglês) Enfim, Israel conta com uma população muito cordial com os turistas e restaurantes deliciosos. Uma das viagens mais incríveis que se pode ter. Eu recomendo.

Banner Whatsapp Desktop
PMCG
AL MS