21 de outubro de 2020 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
al outubro2
Concurso

Concurso vai eleger a mulher e o homem negro mais belos da Capital

19 novembro 2009 - 14h02
Fort  Atacadista - 21 ANOS

  Moças e rapazes negros, maiores de 18 anos, participam amanhã (20) do 2º Concurso Beleza Negra de Campo Grande. O concurso que será realizado no “Dia da Consciência Negra” (celebrado em 20 de novembro), começa às 20h, no Armazém Cultural, na Capital.

  Serão selecionados para o concurso cerca de 20 mulheres e 10 homens negros.Segundo os organizadores, o evento é de abrangência estadual. Podem participar do concurso a população negra e descendente comprovados seja pela cor ou pelos traços.

  Os objetivos são: valorizar a cultura e a estética afro-brasileira; destacar a beleza negra, o orgulho e a valorização de ser negro, além de criar oportunidade social para eles; valorizar a beleza e desenvoltura das candidatas; colaborar com o desenvolvimento social e cultural; interagir com as comunidades de bairros, através das lideranças das associações e escolas.

  “Queremos que o concurso venha fazer parte do calendário cultural das festas sul-mato-grossenses. Para que se torne um evento de inclusão social, direcionado para o negro”, explica Rudy Nolasco, produtor do concurso Beleza Negra. Segundo ele, o negro está incluído na sociedade “mas, quando tem festas, não tem nada direcionado para ele”. Adriana Rocha foi a vencedora do primeiro concurso Beleza Negra realizado em dezembro 2008.  

  Na opinião de Romilda Neto Pizani, também coordenadora do evento, o concurso dá visibilidade à população negra. “Trabalha a auto-estima do negro, fazendo com que a sociedade tenha um momento de reflexão para aceitar as diferentes formas de cultura, e das diferentes manifestações culturais”, comentou Romilda.

           Feira cultural

 Em comemoração ao Dia da Consciência Negra, os organizadores do concurso Beleza Negra também realiza nesta quinta  (19) e sexta (20), no Armazém Cultural, a Feira Cultural: ”Kampibe Ajamu” – que na língua (Iorubá), do continente africano Malauai, quer dizer: Vá e Veja! Ele luta pelo o que ele quer. A abertura solene da Feira começou às 12h30, com a apresentação do grupo de dança Engenho Novo, da Comunidade negra Furnas do Dionísio, localizada no município de Jaraguari (MS). 

 O projeto Kampibe Ajamu tem como finalidade divulgar a cultura afro-brasileira na Capital e no território nacional. Durante a feira haverá amostra de produtos tanto na área do artesanato como na gastronomia.  E ainda, exposições de obras de arte como telas, vasos, e outros. Também vai haver danças, roda de conversas, palestras e testemunhos de experiências vividas sobre discriminação.

 A Feira visa contribuir com a integração entre as comunidades quilombolas rurais e urbanas, e a sociedade, levando a todos os participantes do evento a um momento de reflexão sobre suas ações em relações à aceitação das diferentes culturas do Estado e do país.

            Serviço

  O Armazém Cultural fica na Avenida Calógeras s/nº (no prédio da antiga Ferroviária) em Campo Grande (MS).Mais informações com Rudy no cel. (67)9921-8938 ou Romilda 9659-6399

Banner Whatsapp Desktop
PMCG
Annelies