27 de setembro de 2020 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
PMCG
BALANÇA COMERCIAL

Soja mantém exportações aquecidas e receitas da agropecuária sobem 17%

Em um ano em que o comércio mundial perdeu ritmo, o agronegócio continua bem mesmo em meio a pandemia de coronavírus

4 agosto 2020 - 11h10Redação
Exportações de alimentos continuam em alta
Exportações de alimentos continuam em alta - Arquivo

O volume de soja exportado superou 10 milhões de toneladas em julho, e a balança comercial do agronegócio voltou a ter boas receitas. A média diária das vendas externas da agropecuária do mês passado, em dólares, superou em 17% a de 2019.

Entre as carnes, a bovina foi a de melhor desempenho, mantendo evolução contínua neste ano, tanto em volume exportado como em preços recebidos no mercado externo.

Até as exportações de madeiras, cujo volume subiu para 267 mil toneladas no mês passado, 18% mais do que em julho de 2019, ajudou a engrossar as receitas do país.

Do volume exportado, 185 mil foram de madeiras parcialmente trabalhadas e de dormentes. Já a madeira em bruto ficou em 82 mil toneladas.

O mês de julho foi um período bom também para as vendas de açúcar. O país conseguiu colocar 3,5 milhões de toneladas do produto no mercado externo, segundo dados da Secex (Secretaria de Comércio Exterior).

Esse volume supera em 92% o de igual mês do ano passado, mas os preços médios recebidos pelos exportadores brasileiros ficaram 5% abaixo dos de há um ano, segundo o órgão do governo.

Em um ano em que o comércio mundial perdeu ritmo, devido à freada da economia mundial, provocada pela Covid-19, o agronegócio continua bem.

A Secex indica que a agropecuária teve evolução positiva de 21% de janeiro a julho deste ano no comércio exterior, em relação à média diária de igual período do ano passado. Já a indústria de transformação apresentou queda de 15%.

As exportações brasileiras perdem espaço na Europa, mas têm grande salto na Ásia. Se somam à China, grande consumidora de produtos do agronegócio brasileiro, outros países como Indonésia e Vietnã, que têm importantes mercados e aumentaram em 85% e 35%, respectivamente, as compras no Brasil em julho.

Já as importações médias do setor agropecuário recuaram 6,1% nos sete primeiros meses deste ano. Trigo ajudou nessa queda, com recuo de 5,7%.

Recorde?

As exportações de soja deste ano vão ficar bem próximas das de 2018, quando o país colocou o recorde de 83 milhões de toneladas da no mercado externo.

De janeiro a julho deste ano já são 71 milhões de toneladas, com receitas de US$ 24 bilhões, apenas com as vendas de grãos. A maior parte do produto teve como destino os portos da China, que agora acelera as compras nos EUA.

Esses dados ainda podem ser revisados pela Secex. No mesmo período do ano passado, as vendas externas do país somaram 51 milhões de toneladas.

Importações

As exportações estão tão aquecidas que as indústrias brasileiras aceleraram as compras externas da oleaginosa. Em julho foram importadas 99,7 mil toneladas, acima das 12,7 mil de julho de 2019.

Banner Whatsapp Desktop
GAL COSTA

Últimas Notícias

ver todas as notícias

Enquete

Você já sabe em quem votar para prefeito de seu município?

Votar
Resultados
FORT ATACADISTA - Carne Fresca (interno)
TJ MS
pmcg ms