20 de setembro de 2020 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
JBS - Covid 19
ECONOMIA

Lucro da Petrobras no 2º tri é o melhor resultado desde o mesmo período de 2011

3 agosto 2018 - 09h25

O lucro registrado pela Petrobras no segundo trimestre, de R$ 10,072 bilhões, é o maior desde o segundo trimestre de 2011, quando a companhia teve resultado positivo de R$ 10,9 bilhões. O lucro no semestre, de R$ 17,033 bilhões, foi também o melhor para o período desde 2011.

Nos dois casos, em 2011 e 2018, o que pesou foi a alta do petróleo. A diferença é que em 2011 os preços não eram repassados ao consumidor, o que limitava a geração de caixa, e ainda contou o fato de a petroleira ter registrado naquela ocasião crescimento da produção.

Investimentos

Os investimentos da Petrobras totalizaram R$ 11,311 bilhões no segundo trimestre deste ano, baixa de 1,23% em relação à cifra de igual intervalo de 2017, de R$ 11,452 bilhões, e alta de 14% em relação aos desembolsos do primeiro trimestre, de R$ 9,948 bilhões.

A maior parte dos investimentos foi direcionada à área de Exploração e Produção (E&P), que recebeu R$ 9,717 bilhões de abril a junho deste ano, alta de 6,91% ante o segundo trimestre de 2017.

Na sequência, apareceram os segmentos de Abastecimento, com aporte de R$ 930 milhões (recuo de 12% ante o segundo trimestre de 2017); Gás & Energia, com R$ 381 milhões (valor 65,86% menor em relação a abril a junho de 2017); Distribuição, com R$ 111 milhões (44% mais do que em igual intervalo de 2017); Biocombustível, com R$ 11 milhões (queda de 26,6% ante o segundo trimestre do ano passado); e Corporativo, com R$ 161 milhões (64,3% superior a igual intervalo de 2017).

Fluxo de caixa livre

A Petrobras encerrou o segundo trimestre deste ano com um fluxo de caixa livre positivo de R$ 16,373 bilhões, com aumento de cerca de 75% ante fluxo de igual período de 2017 e aumento de 26% na comparação com o primeiro trimestre. Trata-se do 13º trimestre consecutivo positivo nessa linha do balanço.

O montante corresponde aos recursos gerados pelas atividades operacionais subtraídos dos investimentos em áreas de negócios.

As captações totalizaram R$ 7,973 bilhões entre abril e junho de 2018, ante R$ 30,960 bilhões no segundo trimestre de 2017 e R$ 19,258 bilhões no primeiro trimestre deste ano.

Semestre

No primeiro semestre, o fluxo de caixa livre totalizou R$ 29,366 bilhões, valor 29% superior ao primeiro semestre do ano anterior. Segundo a Petrobras, o avanço se deu, principalmente, em função da maior geração operacional, aliado à menor realização dos investimentos no período.

Custo de extração

O custo de extração (lifting cost) da Petrobras no Brasil, sem a participação governamental, ficou em US$ 10,68 o barril no segundo trimestre deste ano, abaixo dos US$ 11,21 o barril apurados no mesmo intervalo de 2017 e também dos US$ 11,51 o barril reportados no primeiro trimestre deste ano.

Com a participação governamental, o custo foi de US$ 24,43 o barril, ante US$ 18,71 o barril em igual intervalo do ano anterior e US$ 23,58 o barril no primeiro trimestre deste ano.

Itens especiais

Os itens especiais resultaram em perda de R$ 1,344 bilhão à Petrobras no segundo trimestre deste ano, ante perda de R$ 1,841 bilhão no mesmo intervalo de 2017 e ganho de R$ 2,613 bilhões no primeiro trimestre.

O montante teve três itens principais: perda de R$ 1,477 bilhão com efeito de variação cambial sobre contingências; resultado negativo de R$ 1,138 bilhão com alienação e baixa de ativos; e perda de R$ 967 milhões com perdas de crédito esperadas referentes ao setor elétrico.

Nem mesmo o ganho de R$ 2,068 bilhões de uma renegociação de dívidas com a Eletrobras conseguiu compensar os efeitos negativos.

De qualquer forma, no primeiro semestre, a estatal teve ganho de R$ 1,269 bilhão com itens especiais, ante perda de R$ 2,383 bilhões em igual intervalo de 2017.

Refinarias

Diante da menor competição com produtos importados, o fator de utilização do parque de refino da Petrobras no Brasil atingiu 81% no segundo trimestre deste ano, o que representa um avanço de 9 pontos porcentuais na comparação com os primeiros três meses do ano e de três pontos em relação a igual período de 2017.

Por outro lado, o aumento da carga processada nas refinarias pressionou a exportação de petróleo, que diminuiu.

Houve ainda aumento das importações de petróleo pela estatal, devido à maior carga processada e ao volume importado para processamento no próximo trimestre, explicou a empresa.

O saldo líquido de importação de derivados foi em decorrência do aumento das vendas no mercado interno, principalmente do diesel.

Banner Whatsapp Desktop
SANESUL DIA DA ARVORE

Últimas Notícias

ver todas as notícias

Enquete

Você apoia o retorno do ensino presencial em escolas públicas ainda no ano de 2020?

Votar
Resultados
TJ MS INTERNO
pmcg ms
TJ MS