24 de outubro de 2020 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
TCE - Devolução Auxílio Emergencial
Economia

Fiems mostra que empréstimos do BNDES para as indústrias já crescem 1.034%

Fort  Atacadista - 21 ANOS

  Os desembolsos do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) para as indústrias de Mato Grosso do Sul apresentaram um crescimento de 1.034% nos primeiros sete meses deste ano em relação ao mesmo período do ano passado, saltando de R$ 119,2 milhões para R$ 1,3 bilhão.

  As informações são do Posto de Informações do BNDES na Fiems - Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul -, informando que, no geral, os repasses para o Estado de janeiro a julho de 2009 foram 304% maiores que os de janeiro a julho de 2008, aumentando de R$ 391,5 milhões para R$ 1,5 bilhão.

  Segundo análise de Fábio Fonseca, agente do Posto de Informações do BNDES na Fiems, esse aumento é fruto do Programa Especial de Crédito criado pela instituição financeira para socorrer os setores que sofreram impacto com a crise econômica mundial.

  “As maiores liberações foram para as grandes indústrias, que utilizaram o recurso como capital de giro para enfrentar a turbulência financeira”, explicou, completando que o número de operações no setor industrial apresentou crescimento de 80%, saltando de 166 para 298.

  Com relação ao porte das empresas que obtiveram desembolsos do BNDES no Estado, os maiores valores foram para as indústrias de grande porte, com aumento de 574%, saindo de R$ 209,5 milhões para R$ 1,4 bilhão, seguidas bem de longe pelas pequenas indústrias, com crescimento de 26%, saltando de R$ 33 milhões para R$ 42,4 milhões.
  “As micro e as médias empresas apresentaram quedas de 14% e 17%, respectivamente, diminuindo de R$ 115,3 milhões para R$ 99,4 milhões e de R$ 33 milhões para R$ 27,5 milhões”, detalhou Fábio Fonseca.

 No entanto, ele explica ainda que em relação às operações as pequenas empresas foram as que mais cresceram, com aumento de 130%, saltando de 216 para 497 operações, seguidas pelas médias empresas (83%), micro-empresas (54%) e grandes empresas (8%).

  Em termos de recursos, a modalidade de financiamento que mais aumentou foi Finem - Financiamento a Empreendimentos -, com elevação 914% e desembolso R$ 1,3 bilhão destinados ao conjunto de projetos de investimentos para implantação, expansão da capacidade produtiva e modernização de empresas, incluída a aquisição de máquinas e equipamentos novos de fabricação nacional, bem como a importação de maquinários novos sem similar nacional e capital de giro.

  A segunda modalidade foi o Cartão BNDES com crescimento de 278% e liberação de R$ 18,2 milhões no período de janeiro a julho deste ano com relação ao mesmo período de 2008.

   “O Cartão possibilita um crédito de até R$ 500 mil para as empresas dos diversos segmentos para compra de insumos, máquinas e equipamentos”, explicou Fábio Fonseca, completando que o Finame fechou o período com alta de 9%, aumentando de R$ 146,6 milhões para R$ 159,8 milhões, enquanto o Leasing fechou o período com queda de 23%, diminuindo de R$ 3 milhões para R$ 2,3 milhão, e o BNDES Automático teve queda de 10%, reduzindo de R$ 43,7 milhões para R$ 39,2 milhões

Banner Whatsapp Desktop
AL MS
TCE - Devolução Auxílio Emergencial