18 de setembro de 2020 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
sebraeorienta
TRIBUTOS

Feirão do Imposto acontece hoje

Oito empresas na Capital devem comercializar produtos com isenção de tributos

27 maio 2017 - 10h21Da Redação com assessoria
Impostômetro nacional
Impostômetro nacional - Reprodução

Acontece hoje, em Campo Grande, o Feirão do Imposto, com a proposta de informar a população sobre a alta carga tributária que incide em produtos e serviços no país. Para se ter uma ideia, de 1° de janeiro a 26 de maio, os sul-mato-grossenses já desembolsaram R$ 8.748.888.057,74 aos cofres públicos municipal, estadual e federal. Desse montante, R$ 410.323.602,79 foram pagos pelos campo-grandenses.

Nesta edição do evento, oito empresas participam comercializando produtos com dedução de impostos. “É uma forma de o consumidor mensurar o quanto ele paga de imposto na hora da compra e refletir se isso está sendo empregado em benefício para a população”, esclarece o membro do Conselho de Jovens da Associação Comercial e Industrial de Campo Grande (CJE/ACICG) e o coordenador do da iniciativa, Rodney Júnior.

O evento, que ocorre em adesão ao movimento nacional da Confederação Nacional dos Jovens Empresários (Conaje), ainda tem como tema Chega de Mão Grande, para levar a população a refletir sobre o impacto da corrupção nos impostos, gerando a ação contra a corrupção e a favor da aplicação e do retorno dos tributos em prol da sociedade. A edição regional é apoiada pela ACICG e realizada conjuntamente entre CJE/ACICG e CDL Jovem (Câmara de Dirigentes Lojistas Jovem de Campo Grande). O evento também acontece em Três Lagoas e tem a participação da AJE-TL (Associação de Jovens Empresários de Três Lagoas).

Empresas participantes - No bairro Coophavila II, duas drogarias terão 500 medicamentos genéricos sendo vendidos sem impostos. As reduções variam de 38,6% até 46,5% e o atendimento será das 7h às 22h. A drogaria América está localizada na Rua da Península, nº 824, e a Farmais na Rua da Península, nº 626.

No Vila Vilas Boas, o restaurante Brutelus oferecerá refeição no almoço com dedução de 30% de impostos e o valor cai de R$ 39,90 para R$ 28. O local está situado na avenida Bom Pastor, 154.

Já no bairro Santa Fé, a loja Portal Itatiba Móveis comercializará travesseiros com redução de 30%, relativo aos impostos, e o produto, que custa R$ 25,00, será vendido por R$ 15,99. O atendimento ocorrerá das 8h às 18h, na rua Dr. Paulo Machado, 120.

No Centro da Capital, a autoescola Primeira Opção disponibilizará aulas práticas de direção em motos e carros isenção de até 49% de impostos.  O atendimento será das 7h às 18h, na rua 13 de Maio, 3075, com distribuição de senhas para aquisição no dia.

O Feirão do Imposto ainda reúne hospedagem. No Hostel Vitória Régia serão ofertados 10 vouchers sem a incidência de tributos, ou seja, redução 30%. O valor cai de R$ 40 para R$ 28 e para conseguir o benefício, é preciso fazer o cadastro no formulário entre 7h às 12h, pelo link: http://bit.ly/hostelsemimposto. O local está situado na avenida Noroeste, 575, bairro Amambai.

No quesito cuidados pessoais, a Vintage Barbearia disponibiliza corte de barba com redução de 28,57% para os 20 primeiros clientes. De R$ 35,00, o serviço sairá por R$ 25,00, sem impostos. O local fica na avenida Ceará, 101 - Vila Antônio.

A empresa Auto Vidros Capital também participa do evento ofertando 20 vouchers para Insulfilm com redução de 37,5%. Valor do produto com imposto cai de R$ 160 para R$ 100. O estabelecimento atenderá da 8h às 11h, na avenida Calógeras, 884 - Centro.

Impostômetro – Para conscientizar a população sobre os altos tributos cobrados pelo poder público, em 2016, a ACICG inaugurou o Impostômetro, um painel eletrônico instalado na fachada da sua sede, em frente à Praça Ary Coelho, e que mostra a arrecadação da capital, do estado e país em tempo real.

 

O presidente da Associação Comercial, João Carlos Polidoro, explica que a iniciativa faz parte de uma luta antiga da entidade pela redução da carga tributária. “O povo não aguenta mais pagar a conta, pois a cada necessidade ou dificuldade, o governo eleva os impostos. Somos contra, pois isso emperra o desenvolvimento prejudicando empresas, empregos e a sociedade. E nem sempre a arrecadação volta em serviços públicos para beneficiar a população. Queremos que as pessoas se conscientizem do quanto pagam, e cobrem mais pelos seus direitos, e tanto o impostômetro quanto o Feirão do Imposto são excelentes ferramentas que contribuem com esse processo”, afirma.

O funcionamento do Impostômetro da ACICG é uma das ações realizadas pelo movimento #JuntosFaremos, que entre suas diversas bandeiras luta por Menos Impostos e por uma Gestão Pública eficaz.

Situação no Brasil - Segundo a Organização de Transparência Internacional, o Brasil piorou três posições no ranking sobre a percepção da corrupção no mundo em 2015, ficando na 79ª posição entre 176 países, ao lado de China, Índia e Bielorússia. O estudo leva em conta outros 13 levantamentos relacionados a corrupção realizados por instituições como Banco Mundial, World Justice Project e Global Insight.

A corrupção interfere no retorno dos impostos em benefícios para a sociedade, porque retira investimentos em áreas essenciais como saúde, segurança e educação. De acordo com a Organização das Nações Unidas, estima-se que, aproximadamente, R$ 200 bilhões são desviados no Brasil, por ano. Este valor significa três vezes o orçamento da saúde ou educação, e cinco vezes o orçamento da segurança pública.

A corrupção também afeta a competitividade das empresas, sendo que o Brasil perdeu mais seis posições no ranking das economias mais competitivas do mundo, caindo para a 81ª colocação em 2016. O ranking avalia 138 países e foi divulgado pelo Fórum Econômico Mundial, em parceria com a Fundação Dom Cabral (FDC). O levantamento é um termômetro do nível de produtividade e das condições oferecidas pelos países para gerar oportunidades e para que as empresas possam obter sucesso. Além disso, a corrupção atrapalha o desenvolvimento econômico e social. Pesquisas revelam que quanto maior o índice de corrupção, maior será a desigualdade e menor será o desenvolvimento.

 

Banner Whatsapp Desktop
GAL COSTA

Últimas Notícias

ver todas as notícias

Enquete

Considerando a pandemia do novo coronavírus, você acha que o TSE deveria ter editado resolução e tornado o voto não obrigatório este ano?

Votar
Resultados
TJ MS INTERNO
pmcg ms
TJ MS