20 de outubro de 2020 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
al outubro2
Agropecuária

Crise da Cooagri pode comprometer o plantio da próxima safra no Estado

Caminhoneiros jogam enquanto aguardam a liberação dos grãos
Caminhoneiros jogam enquanto aguardam a liberação dos grãos - Eder Campos / Agroimagebank.com
Fort  Atacadista - 21 ANOS

Aproximadamente 60 caminhoneiros estão parados há vários dias em frente da Cooperativa Agropecuária e Industrial (Cooagri), na região de Dourados, esperando para carregar soja e semente de soja para outros depósitos que o Banco BBN do Rio de Janeiro alugou em Fátima do Sul.

Segundo o caminhoneiro Anderson Szereda, que está aguardando há 10 dias, o clima está normal, porém não há previsão de quando a carga será liberada. Entre os municípios de Maracaju, Laguna Caarapã, Ponta Porã, Antônio João e Dourados existem 20.000 toneladas de soja apreendida. Ao todo são quatro mil cooperados em MS. Semana passada os produtores rurais garantiram, via ação judicial, o direito de retirar a soja e a semente de soja comercializadas com a Cooagri.

O vice-presidente da Famasul, Eduardo Riedel, afirmou que essa liberação está suspensa, pois uma liminar do Superior Tribunal de Justiça, deu favorável ao banco BBM do RJ que retirassem os produtos estocados e invalidou a decisão ganha pela federação. “Estamos trabalhando para entrar em acordo entre os credores e os produtores, minimizando assim as perdas dos agricultores”, afirmou Riedel.

Para o presidente da Cooperativa, Nilvaldo Kruger, os reflexos para a safra de verão serão certos. “Como a Cooagri fazia operações com bancos estrangeiros, onde se buscava recursos para o produtor montar seu pacote com fertilizantes, sementes e insumos químicos garantindo sua lavoura, nesse momento ele não tem essa fonte, aumentando o prejuízo, não só para ele, mas para a economia do Estado,” declarou. A dificuldade da cooperativa começou há 10 anos quando Nivaldo assumiu a presidência da Cooagri. Nesse momento a cooperativa já dependia de dinheiro estrangeiro. Os créditos eram fornecidos por bancos brasileiros e internacionais. No começo do ano, com a crise imobiliária dos EUA, piorou a situação e os bancos começaram negar as renegociações dos financiamentos. Hoje a dívida é estimada em R$ 240 milhões.

A  Cooagri,  foi estabelecida há mais de 17 anos em MS. Ela é sediada em Dourados e está presente em 18 localidades da região Sul do Estado. O faturamento bruto anual está na casa dos R$ 800 milhões e a movimentação de grãos é de 700 mil toneladas de soja e 500 mil toneladas de milho.

Banner Whatsapp Desktop
AL MS
PMCG