22 de novembro de 2019 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
HVM
Telecomunicação

Oi anuncia venda de torres por R$ 1,17 bi

26 junho 2014 - 09h12
Infraestrutura já não é considerada ativo estratégico para as operadoras
Infraestrutura já não é considerada ativo estratégico para as operadoras - Caio Guatelli

A Oi anunciou ontem sua quinta operação de venda de torres de telefonia. Dessa vez tratava-se de um lote de 1.641 equipamentos de telefonia móvel comprados pela SBA Torres Brasil por R$ 1,172 bilhão.

A operadora já soma quase R$ 7 bilhões em bens vendidos desde o fim de 2012, quando iniciou a estratégia de se desfazer de ativos não-estratégicos para reduzir sua dívida - R$ 30,29 bilhões no trimestre encerrado em março. Desde então, a Oi já vendeu 4.856 torres de telefonia móvel, 6.339 fixas, para a SBA e para a BR Towers, um imóvel e a empresa de cabos submarinos Globenet.

A operadora não revela quantas torres próprias ainda possui, mas em fevereiro a informação era de que planejava vender as cerca de 2 mil torres que ainda lhe restavam. Passaria, assim, a atuar só com o uso de equipamentos alugados.

Segundo a Oi, as vendas de ativos representam um custo entre 7% e 8%, que é inferior ao custo médio de captação de recursos da companhia. No fato relevante enviado à Comissão de Valores Mobiliários ontem sobre a atual operação, a companhia destacou que a transação reforça e melhora sua flexibilidade financeira, permitindo aumentar os vencimentos e maturidades da dívida, reduzir o custo associado ao financiamento e fortalecer a posição de liquidez.

A ação preferencial da Oi foi cotada ontem a R$ 2,08, alta de 1,96%. Pela manhã, a alta chegou a quase 3%, mas um analista que preferiu não se identificar disse que a variação era resultado da volatilidade apresentada pelas ações da companhia nos últimos meses. "Só ontem [terça-feira] a ação caiu 3,77%", lembrou. No ano, os papéis da operadora acumulam recuo de mais de 40%.

O mercado de torres de telefonia está aquecido globalmente, mas tem se destacado no Brasil desde 2012, quando as operadoras começaram a se desfazer desses ativos por questões financeiras. O Brasil conta atualmente com 56.508 torres de telefonia celular, segundo a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). É nesse volume que está o potencial de negócio para venda e terceirização de serviços.

Telefônica Vivo, Claro e TIM e Oi possuem quantidades bem parecidas de torres. Os equipamentos somados da Oi e TNL, que integram o mesmo grupo, atingem 13.746 unidades. Embora os números sejam expressivos, é preciso descontar quantos equipamentos são próprios e terceirizados, o que as empresas não gostam de revelar.

TJ MS Novembro