16 de setembro de 2019 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
ANDORINHA
ECONOMIA

População não tem o hábito de poupar e pensar no futuro, diz educador financeiro.

13 junho 2019 - 17h52

Mais da metade dos brasileiros admite que não faz um planejamento financeiro de forma organizada. Uma pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) revelou que 48,5% dos entrevistados assumiram que deixam a desejar quando o assunto é planejar as finanças. Segundo o administrador e professor Claudio Ramos, da Invista Agora, o primeiro passo para ter uma segurança financeira é fazer a pessoa entender quais são as suas despesas e qual é a sua receita, para entender o padrão de vida ideal e programar quanto poupar para o futuro.

Segundo Claudio, a sociedade é extremamente consumista e precisa aprender a gostar de investir. “Enquanto a população não têm conhecimentos de neurociências, existem marqueteiros e empresas que tem muitos estudos em mãos para saber te influenciar a adquirir algo que você não queira, gastando até o que você não pode”, explica.

O administrador informa que são em momentos de crise que as pessoas começam a aprender a usar o dinheiro da forma adequada, pois, os que aprenderam a poupar no momento de fartura vão investir o dinheiro da melhor forma possível nas oportunidades que surgem nas crises, já a pessoa que não se preparou terá que se reajustar cortando gastos e diminuir o padrão de vida.

Cláudio Ramos dá dicas para as pessoas que querem começar a investir. “Pare de assistir propagandas comerciais e foque menos em hábitos de consumo para aprender a administrar seu dinheiro. O cartão de crédito também é um dos grandes vilões que pode nos atrapalhar a investir. Em momentos de crise a emoção vai falar muito mais alto que a razão e a conta chegará, juntamente com o arrependimento”, finaliza.

TJMS