21 de junho de 2018 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
banner TCE. Sustentabilidade dias 21, 22, 25, 26 e 27/06 conforme pi 1808/2018
EMPREGO

Funtrab inicia processo para contratação de indígenas para colheita da maçã em SC e RS

14 janeiro 2018 - 09h00

Campo Grande (MS) – A Fundação do Trabalho de Mato Grosso do Sul (Funtrab) já iniciou o processo seletivo para a contratação de indígenas para trabalharem na colheita de maçã nas empresas do Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Essa intermediação é resultado da parceria entre o Governo de Mato Grosso do Sul, Ministério Público do Trabalho (MPT/MS) e empresas frutícolas desses dois estados.

O processo seletivo em andamento é para a contratação de 115 índios que moram no Estado. Os que forem aprovados trabalharão na colheita, seleção e embalagem das maçãs em uma empresa de Bom Jesus (RS). A empresa oferece um salário de R$1.185,00, acrescidos de transporte, almoço e alojamento.

O pedreiro Valdir Sabino Maciel, que mora em uma comunidade indígena no bairro Bosque Santa Mônica II, em Campo Grande, é um dos 25 índios que procuraram a Funtrab na última sexta-feira para se oferecer para a vaga. Desempregado há seis meses, ele diz estar confiante. “Para mim será uma boa oportunidade, pois preciso de um trabalho fixo, estou há meses fazendo bicos”, declarou Maciel.

Também estão sendo feitas entrevistas na “Casa do Trabalhador” em Sidrolândia.  Para preencher as vagas não é necessário ter experiência, basta ter o ensino fundamental incompleto e disponibilidade para trabalhar em outro Estado. A colheita da safra de maçã começa no fim deste mês e dura até 90 dias. Muitas empresas pagam também por produtividade, o que eleva a renda do trabalhador.

Graças a essa união de esforços entre Governo do Estado, MPT e empresas do RS e SC, muitas famílias de índios terena e guarani-kaiowa estão tendo oportunidade de conseguir uma ocupação com contrato firmado e com todas as garantias. No ano passado, mais de 500 indígenas foram contratados para a colheita e a expectativa é de que, com o passar dos anos, o número de contratados chegue a 2 mil por safra.

No final do ano passado, cerca de 400 índios de Mato Grosso do Sul foram contratados para trabalharem no raleio das plantações de maçã em Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Paulo Yafusso, da Subsecretaria de Comunicação (Subcom), e Magna Melo, da Fundação do Trabalho de Mato Grosso do Sul (Funtrab-MS)

Foto: Zero Hora

 

TJ MS
ALMS CORTESIA