15 de novembro de 2018 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
banner Mudanças - Assembléia Legislativa - período de 09/11 a 30/11
ADOÇÃO

Apoio aos futuros pais e mães adotivos é a temática de nova etapa do CPA

Neste quinto encontro, o auditório continuou ocupado quase em sua lotação máxima pelos mais de 100 candidatos a se tornarem pais por adoção

9 novembro 2018 - 15h09Da redação
Divulgação

Teve início na noite de quinta (8) e segue nesta sexta-feira (9), a terceira etapa do Curso de Preparação à Adoção (CPA). Realizado no auditório do Tribunal do Júri do Fórum de Campo Grande e transmitido simultaneamente para o interior do Estado, o curso é requisito obrigatório a todos os interessados em adotar uma criança.

Neste quinto encontro, o auditório continuou ocupado quase em sua lotação máxima pelos mais de 100 candidatos a se tornarem pais por adoção, entre eles casais homoafetivos e homens e mulheres solteiros. Todos foram recebidos com um sorriso largo pela assistente social do Núcleo de Adoção, Iora de Moura Paranaíba, que, sem delongas, apresentou-lhes um casal que adotou há 11 meses um menino de 11 anos.

Em seu depoimento, os pais expuseram um pouco sua experiência de sentirem-se pais, a construção desse afeto e do sentimento de paternidade. "As pessoas, às vezes, podem pensar que querem ser mãe de um recém-nascido para poder se sentir mãe. Mas não! Quando eu o vi (o filho) a primeira vez, foi uma coisa assim, de mãe, eu senti realmente que eu era a mãe dele!", relatou a mulher.

Terminado o depoimento do casal, a fala foi passada para os voluntários integrantes do GEAAV, Grupo de Estudo e Apoio à Adoção Vida. Eles se apresentaram brevemente e contaram sobre suas experiências pessoais com a adoção de seus filhos.

Desde adoções de irmãos mais velhos, a bebês com 5 e 19 dias, os voluntários buscaram deixar claro aos presentes que os desafios a serem enfrentados são os mesmos de qualquer pai de recém-nascido ou de adolescente. Ressaltaram que também há algumas situações específicas que pais adotivos passam, principalmente ligadas ao preconceito de estranhos, da escola e até de familiares. "A nossa postura de pais por adoção também é muito importante. É preciso ter muita clareza e segurança do que estamos fazendo, pois adotar não é uma história a ser escondida, nunca foi!", aconselhou a mãe de dois jovens de 19 e 15 anos que foram adotados com poucos dias de vida.

Logo após, a presidente do GEAAV, Lydia Pellat, falou do trabalho desenvolvido pelo grupo, cuja função precípua é tirar dúvidas e trocar experiências sobre adoção com todas as pessoas que desejam adotar, ou que já receberam seus filhos em casa. Pellat convidou a todos os presentes a já participarem das reuniões de pré-adoção como uma forma de amadurecerem a ideia de ter um filho adotivo, de repensar os perfis de criança desejados, de "gestar no coração esse filho".

Após breve intervalo, teve seguimento o estudo do livro "Pedagogia da Adoção", de Luiz Schettini Filho, indicado apela equipe do Núcleo de Adoção do Fórum, com apresentação dos participantes do curso de alguns capítulos.

Em continuação ao cronograma do curso, está prevista para o encontro de hoje, às 19 horas, uma palestra com psicólogo e a continuação da dinâmica de leitura compartilhada.

Distribuído em oito encontros, com três horas cada, os primeiros dias do Curso de Preparação para Adoção foram realizados em 4, 5, 18 e 19 de outubro, e as últimas etapas serão nos dias 22 e 23 de novembro. Somente o público com 100% de frequência no curso recebe o certificado, que tem validade de três anos. A qualquer tempo, dentro deste período, o interessado pode ingressar na próxima etapa do processo de adoção.

Últimas Notícias

ver todas as notícias

Enquete

Você está animado com a transição para um Governo Bolsonaro?

Votar
Resultados