22 de fevereiro de 2019 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
Eduardo Ferraz

Como escolher a empresa para trabalhar

27 maio 2015 - 10h04
Eduardo Ferraz
Eduardo Ferraz

Todos os anos, pesquisas comprovam o aumento da insatisfação das pessoas com a vida profissional. Recentemente, um estudo do Instituto de Pesquisa e Orientação da Mente (IPOM) revelou que, de cada 10 profissionais consultados, 7 dizem estar insatisfeitos com a carreira ou o emprego e gostariam de trocar de função ou empresa.

Na prática, a produtividade e a satisfação profissional têm forte relação com a adequação do perfil de cada um ao cargo que ocupa e com a sua motivação. Para ser bem-sucedido, você deve priorizar um trabalho que dê condições de satisfazer suas motivações não apenas no curto, mas no médio e longo prazos. As empresas oferecem quatro grandes fatores motivacionais: dinheiro, segurança, aprendizado e reconhecimento.

Cada indivíduo tem necessidades em diferentes intensidades. Alguns desejam ganhar mais dinheiro, outros preferem um trabalho que proporcione segurança, com uma carreira mais estável. Outros julgam o aprendizado como fator mais importante e há aqueles que veem o reconhecimento como condição mais importante.

Portanto, é fundamental identificar a fórmula que a companhia realmente oferece. O problema é que a maioria das empresas não deixa isso claro e é você quem terá de analisar a importância de cada motivador que lhe é oferecido. A fórmula para isso tem a ver com a estrutura, os valores e a cultura da organização, e não com o discurso.

Antes de aceitar uma proposta de emprego, pesquise o funcionamento da empresa. Há casos de bons profissionais que abandonaram um emprego estável e seguro em virtude de uma proposta de salário melhor, de promessas de ascensão meteórica ou de treinamento intensivo, mas, meses depois, descobriram que haviam entrado em uma furada.

Infelizmente, há pessoas sem escrúpulos que costumam recrutar profissionais de primeira linha apenas para aproveitar sua expertise por alguns meses e depois os dispensam sem direito a quase nada do que foi prometido.

Assim sendo, fique atento! Depois da última entrevista de seleção (logo após receber a proposta de trabalho), peça para conversar com algumas pessoas da empresa, sobre como funcionam as coisas por lá. Procure descobrir há quanto tempo trabalham os funcionários mais antigos. Analise o perfil de quem tem dado certo, como é a cultura, quais são os benefícios oferecidos, quem são os clientes e qual é a reputação da instituição no mercado. Empresas sérias não se opõem e muitas até incentivam esse tipo de iniciativa. Munido de todas essas informações, será muito mais fácil entrar em uma companhia que tenha relação com seu perfil e com seus motivadores profissionais.

* Eduardo Ferraz é consultor em Gestão de Pessoas há 25 anos e autor do recém-lançado Negocie qualquer coisa com qualquer pessoa, pela Editora Gente.

 

TJMS
Camara Municipal