15 de janeiro de 2019 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
Campanha REFIS 2019 -  Banner
ARTIGO

Tempo de balanço da vida

Parece automático, a chegada de dezembro faz as pessoas refletirem e avaliarem, com profundidade, seu próprio desempenho durante o ano

12 dezembro 2018 - 11h20Wilson Aquino é Jornalista
Wilson Aquino é Jornalista, Professor e Cristão SUD
Wilson Aquino é Jornalista, Professor e Cristão SUD - Divulgação

Parece automático, a chegada de dezembro faz as pessoas refletirem e avaliarem, com profundidade, seu próprio desempenho durante o ano. O indivíduo torna-se seu próprio juiz e é rigoroso ao fazer uma análise justa sobre os aspectos positivos e negativos alcançados nessa trajetória anual preestabelecida da vida.

A vida é difícil para todos devido aos problemas mais diversos que todos enfrentamos. Essas dificuldades, versáteis e que se apresentam das mais variadas formas (econômicas, físicas, mentais, intelectuais...) nem sempre permitem êxito em absolutamente tudo o que planejamos fazer antes do início de um novo ano.

Quase sempre, devido a esse balanço, nos frustramos por não conseguirmos alcançar aquelas metas que pareciam tão fáceis, como a de voltar a estudar; concluir finalmente aquele curso; conseguir um emprego melhor; dar entrada à tão sonhada casa própria; comprar um carro, uma moto; conhecer o mar e viajar pela primeira vez de avião; fazer aquela operação para retirada daquele espinho da carne que nos impede de andarmos firmemente em busca dos nossos sonhos, dos nossos ideais...

Nesse balanço nos lembramos dos obstáculos que foram surgindo ao longo do ano, mês após mês, e que nos impediram de darmos início ou prosseguimento ao plano. Muitos obstáculos, no final, se justificam, pois foram, de fato, impeditivos. Outros não! Pois julgamos que se fôssemos mais persistentes, determinados, perseverantes, certamente teríamos conseguido. Chegar a essa conclusão é frustrante, pois demonstra o quanto ainda precisamos ser fortes, ousados e guerreiros para conquistamos espaços e avanços na vida.

Não é à toa que muitos confessam que não gostam do “período de Natal”. Consciente ou não, na maioria dos casos, têm a ver com esse balanço que fazemos da vida e nos frustramos quando concluímos que não saímos vencedores em face às metas estabelecidas, por conta de nossa própria incompetência. Aqueles que somam importantes vitórias ao longo do ano se sentem melhores e prontos para novos desafios.

Aqueles que sentem que não se saíram bem, que o balanço deu “negativo”, procedem de diversas formas em função disso. O melhor, entretanto, é aquele que ergue a cabeça e diz para si próprio que vai buscar alcançar as metas não alcançadas no próximo ano, com mais garra e determinação. Há aqueles que entram em profunda tristeza e desânimo. Mas há também quem se desespera se achando o pior dos incapazes e, às vezes até, faz besteira.

Na verdade, todo esse processo, de conquistas e derrotas num ciclo anual da vida, é de uma beleza indescritível, pois nos dá a esperança de sempre buscarmos nos aperfeiçoar e crescer diante dos novos obstáculos que certamente surgirão. Pois a beleza da vida está na forma como levamos o dia a dia, independente das conquistas. Em outras palavras: A vitória em um combate não está centrada apenas na derrota do inimigo, mas na forma como lutamos e o enfrentamos.

E nessa longa e difícil jornada da vida, felizes são aqueles que acreditam em Deus e Jesus Cristo, pois nunca, absolutamente nunca, estarão sós. Mesmo que tenham que enfrentar os mais gigantescos e tenebrosos desafios o farão com a cabeça erguida e o coração cheio de coragem e alegria.

Então, durante o balanço anual da vida, que a todos a consciência cobra, coloquemos Deus e Jesus Cristo nos nossos planos de vida. De andarmos com Eles durante todo o ano, em todos os lugares, em  nossos atos e ações,  para recebermos as bênçãos e forças necessárias para aceitamos mansamente vitórias e derrotas que alicerçam a existência de todos nós.

Não desistamos! Tenhamos fé de que podemos sim estabelecer para 2019 mesmo que as mesmas metas estabelecidas para 2018. Não há vergonha e nem atraso de vida ao agirmos assim, pois com a companhia e as bênçãos do Senhor haveremos de crescer e avançar nesta longa e agradável jornada da vida.