18 de dezembro de 2018 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
BANNER TCE - E-Extrator PI 3492/2018 (13/12 até 17/12)

Fac homenageia libaneses e promove natal mais solidário para famílias carentes

26 novembro 2018 - 11h51

Na noite de sábado (25), o Ondara Buffet foi palco da 1ª Noite Libanesa, que comemorou os 113 anos de imigração no estado junto a descentes e libaneses que se destacam na nossa cidade e no país. Dezessete foram homenageados, incluindo as homenagens “in memorian” a Michel Sauma Ibrahim, Spipe Calarge, George El Sayegh  e Nelson Trad.

Presidente do Conselho Gestor do Fundo de Apoio à Comunidade – FAC e primeira-dama, Tatiana Trad falou sobre o povo libanês.

“Estamos com a casa cheia e o sentimento que é gerado no meu coração é de agradecimento por estarmos celebrando os 113 anos da colônia libanesa, que é uma colônia que quando me casei, comecei a fazer parte e reflete muito esse amor que queremos passar. Esta é uma característica muito forte desse povo”, disse, frisando que a arrecadação da festa vai se reverter para o Natal das crianças das famílias que o FAC atende.

“A gente busca ajudar e isso contando com a força de toda a população campo-grandense, que sempre nos é muito solícita, sempre muito receptiva naquilo que oferecemos. Isso me traz uma alegria e uma certeza de que as pessoas acreditam no trabalho que o FAC tem feito em prol daqueles que mais precisam”, afirmou.

O prefeito Marquinhos Trad lembrou de seu pai Nelson Trad e de seu avô Cônsul Assaf Trad.

“Meu avô, assim como muitos libaneses, chegou aqui sem nada e, aos poucos,  no comércio, de porta em porta, foi construindo a nossa família. Meu pai cresceu, se formou e, junto com minha mãe, nos educou. Hoje, temos orgulho de dizer que somos descendentes de libaneses e filhos dessa terra, que nos acolheu e que acolhe a todos que chagam aqui”, disse.

A maioria dos libaneses vieram pra cá inicialmente sem muitos recursos, mas com muita vontade de trabalhar, educaram os filhos no Brasil e o que conquistaram, investiram aqui. Uma marca do povo libanês.

Atualmente, estima-se que no Brasil exista 12 milhões de libaneses e descendentes. População maior do que a do próprio Líbano, que é de pouco mais de 6 milhões de habitantes. Mato Grosso do Sul é o 2º estado com o maior número de “brimos”, conforme estimativa da Federação Nacional das Entidades Líbano-brasileira aqui no estado. E com tantos libaneses no Brasil e no Mato Grosso do Sul, não haveria como não ter tantas pessoas ilustres nas mais diversas áreas.

O ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marum, foi um dos homenageados da noite.

“Essa é uma festa completa. Uma festa que une uma justa homenagem a uma colônia que é tão Importante no desenvolvimento do Brasil, especialmente de Mato Grosso do Sul e de Campo Grande, que é a colônia libanesa, que é a colônia árabe e, além disso, soma solidariedade, soma a possibilidade que os recursos aqui arrecadados sejam destinados ao benefício de pessoas carentes, através do FAC, muito bem administrado pela primeira-dama. Então, uma festa completa. Eu fico muito feliz por estar aqui. Estamos recebendo a honrosa visita do embaixador do Líbano, ou seja, só alegria”, disse.

O embaixador do Líbano, Joseph Sayarh, que também prestigiou o evento e foi homenageado, falou dos anos da imigração libanesa no Brasil.

“Aqui em Mato Grosso do Sul são 113 anos que fizeram do Líbano parte de Mato Grosso do Sul, e fizeram do Mato Grosso do Sul uma parte tão querida por descendentes e libaneses. O Brasil tem hoje quase duas vezes a população do Líbano, isso mostra que fizemos do Brasil o Líbano e do Líbano o Brasil”, ressaltou.

Já no Brasil, a primeira grande leva de libaneses cristãos chegou em 1880, sendo os estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Pará e Goiás os que mais receberam imigrantes.

Em Campo Grande,  os libaneses chegaram por volta de 1912 e ajudaram a construir a a história. Muitos deles vindo de Corumbá, por onde chegaram pelo então porto comercial de Mato Grosso. Outros, chegaram pela Estrada de Ferro da Noroeste do Brasil, a qual muitos ajudaram a construir.

De mascates a grandes lojistas, os primeiros árabes que aqui chegaram tiveram um papel muito importante na difusão do comércio. Registros históricos apontam que em 1933, pouco mais de 20 anos desde o primeiro registro da chegada deste povo, 90% das lojas existentes nas ruas 14 de julho e Calógeras, eram pertencentes aos árabes, em sua grande maioria, libaneses e seus descendentes que até hoje estão por ali.

O cônsul Eid Toufic Anbar disse que  os libaneses aqui se instalaram pois encontraram uma região que os acolheram e deram oportunidades ao seu povo.

“Aqui em Mato Grosso do Sul o povo libanês encontrou o campo aberto para iniciar a sua luta, hoje junto às suas famílias colhem os frutos plantados geração a geração. O brasil é a nossa 2ª mãe”, frisou.

Foram homenageados:

Joseph Sayah, excelentíssimo embaixador do Líbano no Brasil

Eid Toufic Anbar – Cônsul do Líbano

Pierre Adri, formado em Direito, Jornalismo e Teologia

Ricardo Ayache – Médico cardiologista

Ueze Elias Zahran – fundador da Copagaz

Munir Saad – proprietário da Manura churrascaria e cozinha árabe

Michel Sauma Ibrahim (in memorian) – comércio na culinária árabe

Spipe Calarge (in memorian) – comerciante e político

George El Sayegh (in memorian) – um dos fundadores da Associação dos Fotógrafos Profissionais de Campo Grande e presidente do Rotary Clube

João Jasbik Neto – um dos mais renomados cirurgiões cardiovasculares do Brasil

Abdalah Georges Sleiman – primeiro representante do creme dental Kolynos, sabonete Lux, Sonrisal e Cibalena aqui no estado

Mafuci Kadri – . uma das referências na medicina e educação sul-mato-grossense

Luis Pedro Scalize – arquiteto

César Maksoud – coordenador-chefe do projeto Rondon para Mato Grosso do Sul, além de ter sido o primeiro diretor-geral da Academia Estadual de Segurança Pública do Estado

Carlos Marum – ministro da Secretaria de Governo da Presidência da república

José Thomaz – Thomaz lanches, a casa árabe mais tradicional de campo grande

NelsonTrad (in memorian) – advogado e professor, na vida pública ocupou cargos de deputado estadual e federal, além de ter sido procurador do Estado e vice-prefeito de Campo Grande

Deixe seu Comentário

TJMS – Campanha do TJMS – SEMANA NACIONAL DA RECONCILIAÇÃO
Rubeola