19 de abril de 2019 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
SEGOV/ENTREGAS B
POLÍTICA

“Sou um vereador diferente, acessível e que está atento às demandas e quer atender da melhor forma possível” diz João Cesar Mattogrosso

O vereador João César Mattogrosso anuncia que pretende continuar ao lado de Marquinhos Trad em 2020

2 fevereiro 2019 - 06h00Da redação com Assessoria
O vereador João César Mattogrosso, 35 anos, eleito em 2016 com 3.729 votos para exercer o mandato de 2017 a 2020, é o entrevistado da semana do Jornal A Crítica
O vereador João César Mattogrosso, 35 anos, eleito em 2016 com 3.729 votos para exercer o mandato de 2017 a 2020, é o entrevistado da semana do Jornal A Crítica - Divulgação

Presidente do Diretório Municipal do PSDB, o vereador João Céssar Mattogrosso, 35 anos, eleito em 2016 com 3.729 votos para exercer o mandato de 2017 a 2020, é o entrevistado da semana do Jornal A Crítica. Bacharel em Direito e empresário, ele destaca seu trabalho parlamentar ao longo de 2018 e reforça o papel fundamental que teve o seu aplicativo para smartphome “Chama o João”, que lhe permitiu se aproximar mais da população. O vereador voltou a cobrar alterações no PRODES para beneficiar o município e a pedir uma revisão na Lei do Silêncio, pois ela tem ocasionado o fechamento de vários bares e restaurantes, fazendo com que a Capital se torne somente uma cidade diurna. Outro ponto abordado por João César Mattogrosso é o pleito municipal de 2020, quando garantiu que pretende caminhar ao lado do prefeito Marquinhos Trad.

 

A Crítica - Qual a avaliação que faz do seu mandato em 2018 na Câmara de Vereadores? E  quais as metas para 2019?

João César Mattogrosso - Com relação a 2018, foi ano muito produtivo com muitas ações e visitas aos bairros de Campo Grande, onde conseguimos atender diversas demandas e estabelecer uma aproximação com a população, principalmente pelo aplicativo “Chama o João”. Ao longo de todo o ano passado, procurei acompanhar de perto a realidade de cada local para levantar as necessidades e solicitar melhorias ao Poder Executivo. Atento ao chamado da população, principalmente aos realizados pelas redes sociais, consegui tornar a atividade legislativa mais próxima da população, além de verificar as demandas, também levei muitas explicações sobre pautas debatidas na Casa de Leis, como a taxa do lixo, por exemplo. Percebi que há muitas dúvidas e pouco acesso à informação em algumas regiões e, por isso, considero muito importante essa prestação de contas pessoalmente. Também consegui fazer com que as pessoas entendam que eu sou um vereador diferente, acessível e que está atento às demandas e quer atender da melhor forma possível, os pedidos das comunidades da nossa Capital, sem prometer, mas buscando trabalhar para diminuir problemas.

A Crítica - Como presidente da Comissão de Indústria, Comércio, Agropecuária e Turismo, o que o senhor acredita que precisa ser melhorado para atrair novos investimentos para a Capital?

João César Mattogrosso - Primeira questão que tenho deixado claro, desde o início do nosso mandato, em 2017, é que precisa haver uma reformulação da legislação do PRODES (Programa de Incentivos para o Desenvolvimento Econômico e Social de Campo Grande). É uma legislação antiga, que precisa de celeridade, mais eficiência e dar mais segurança, tanto para os empresários, como para toda a população de Campo Grande. É inadmissível ter empresários que venham até a nossa cidade e que recebem incentivos fiscais e doações de áreas sem nenhuma proposta de contrapartida, a não ser só o de emprego. Também é necessário investir em nossa cidade como um todo. É preciso também ter o critério para aqueles empresários que não estão fazendo os investimentos conforme o plano de negócio e que a Prefeitura de Campo Grande retome a área imediatamente e, assim, ter incentivos para atrais novos empresários de diferentes áreas, para que possamos diversificar a economia local. A lei, sancionada há 18 anos, não sofreu alterações importantes para acompanhar as demandas que surgiram neste período. Era comum a reclamação de empresários para conseguir a política de incentivo da Capital. Nosso objetivo é promover um programa mais atual, célere e transparente. Precisamos avançar com a revisão desta matéria, pois a legislação em vigência não atende de forma completa e moderna as políticas de incentivo em nossa Capital, o que é prejudicial para o desenvolvimento.

A Crítica - O app “Chama o João” é uma inovação na forma de fazer política?

João César Mattogrosso - Com certeza. Essa foi a única promessa que fiz durante minha campanha, de desenvolver esse aplicativo com o intuito de me aproximar da população. E com certeza esse tem sido nosso grande diferencial porque realmente o “Chama o João” acontece, funciona e eu nunca deixei de ir até aquele que me chama pelo aplicativo. Na verdade, essa é a minha grande paixão, o “Chama o João” é o que me dá mais prazer de fazer política, de estar na ponta, conversando com a população, de estar ouvindo, me aproximando e deixando nosso gabinete à disposição, lutando diariamente com o Poder Executivo, com o secretariado e tentar atender, da melhor forma possível, aqueles que estão necessitados e precisando do nosso apoio. Seja na educação, seja na saúde, na segurança, enfim, a demanda que for. Então o “Chama o João” é uma grande inovação. A ideia foi usar a tecnologia digital, que tem ganhado cada vez mais espaço na rotina das pessoas. A conexão com a Internet facilitou a vida do homem moderno e transformou inúmeras áreas de atuação. Dentre elas, a política, que ganhou ferramentas importantes para o trabalho dos eleitos para representar o povo. Pensando nisso, agreguei ao meu mandato esse aplicativo, um software que está disponível gratuitamente para a população campo-grandense fazer indicação para melhorias na Capital em poucos segundos. Hoje todo mundo tem um celular na mão. Estamos conectados praticamente 24h à Internet. Por isso, pensei em usar a tecnologia a nosso favor. Essa é uma nova forma de se fazer política.

A Crítica - Em 2018, o senhor percorreu os bairros de todas as regiões da cidade. O que de mais grave o senhor encontrou nessas visitas e que precisa ser melhorado?

João César Mattogrosso - O que mais precisa ser melhorado é a questão de falta de serviços públicos. Vejo que Campo Grande, na ânsia de resolver problemas de moradia, esqueceu de ser uma cidade planejada. Resolve-se a moradia, porém não tem um Ceinf (Centro de Educação Infantil), não tem um posto de saúde, uma delegacia, enfim, não tem planejamento dos seus serviços públicos, falta toda essa parte de atendimentos básicos para a população poder viver na sua região de forma adequada, regular e organizada.

A Crítica - Uma das bandeiras do seu mandato é a agilidade na emissão de alvarás em Campo Grande. O senhor obteve sucesso nessa demanda?

João César Mattogrosso - Ainda não. É uma demanda da qual sabemos que não se realiza do dia para a noite, mas não vamos descansar enquanto nós não conseguirmos resolver, pois os empresários precisam disso, isso vai dar muito mais celeridade e trará muito mais investimentos para a nossa cidade. O meu pleito é a modernização no sentido de interligar a comunicação entre os órgãos competentes pela emissão de alvarás junto à SEMADUR (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano) e à Prefeitura de Campo Grande. Entre os encaminhamentos conquistados, principalmente com o apoio da Agência Municipal de Tecnologia da Informação e Inovação (AGETEC), está o início dos estudos para interligação da comunicação dos bombeiros, que realizam a emissão do último alvará para todos os tipos de eventos. Os estudos para concretização desses avanços foram um importante passo rumo à evolução, pois o objetivo central é atender às demandas dos alvarás com mais agilidade e segurança para população.

A Crítica - Como o senhor avalia a Lei do Silêncio em Campo Grande?

João César Mattogrosso - Não diria a Lei do Silêncio, por que a lei que leva esse nome é Federal, mas os impactos dela em Campo Grande, ou da lei do uso do solo, tem ocasionado fechamento de vários bares e restaurantes, fazendo com que a Capital se torne somente uma cidade diurna. E isso é inadmissível. Nós não podemos aceitar que a noite de Campo Grande seja só para o sono, pois o fomento noturno é muito importante e como que em outras capitais e cidades, a noite é tão agitada, movimenta muito dinheiro e que nossa, fique conhecida somente por casas de sushis, de colchão e de farmácias. Campo Grande caminha para uma cidade de um milhão de habitantes e a nossa legislação precisa acompanhar esse crescimento, de tal forma que respeite aqueles que querem descansar, mas que também entendam aqueles que estão trabalhando na noite e aqueles que querem se divertir. Penso que a melhor lei não é a do silêncio, é a do bom senso.

A Crítica - Outra preocupação do seu mandato é a instalação de semáforos nas principais ruas da cidade. O senhor pretende continuar com essa pauta neste ano?

João César Mattogrosso - Não diria só nas principais ruas, mas também nas rotatórias de Campo Grande. Sou o vereador responsável pelas indicações de importantes rotatórias, pelo menos nesse mandato, fui o único a fazer indicações para as nossas rotatórias da cidade, que é um grande gargalo do nosso trânsito. E com certeza, estou batendo, e continuarei batendo para que se resolva todos esses gargalos das nossas rotatórias para que Campo Grande tenha um melhor fluxo no trânsito e com menos riscos de acidentes. Fico muito feliz de ver hoje a rotatória da Avenida Mato Grosso em pleno funcionamento, com tráfego melhor e mais segurança, assim como a rotatória da Coca Cola também, ambas fruto de minha indicações. Agora quero firmar uma parceria com o Governo do Estado e prefeitura para resolver a situação de um ponto próximo a UCDB (Universidade Católica Dom Bosco).

A Crítica - Como presidente do PSDB Municipal, como já estão as conversas para 2020?

João César Mattogrosso - Vamos começar agora as conversas, mas vamos com certeza continuar trabalhando em prol da população e deixar as articulações políticas para o ano que vem. Acho que quando a gente trabalha pelo bem de nossas comunidades, a gente sabe que o resultado vai aparecer e o que tiver que acontecer, vai ser lá na frente. O caminhar normal é que a gente esteja ao lado do prefeito Marquinhos Trad, que nos ajudou na recondução de nosso governador Reinaldo Azambuja na última eleição, então tudo indica que nós estejamos ao lado dele. Agora a política é como as nuvens, vamos aguardar e ver o que acontece.

 

Camara.ms