11 de agosto de 2020 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
agecom
COMBATE AO AEDES AEGYPTI

Prefeitura e Exército apresentaram dados relativos ao combate ao Aedes aegypti

A equipe da saúde esclareceu que as tendas fornecidas pelo Exército tiveram que ser readequadas para as necessidades, em função da refrigeração.

19 dezembro 2015 - 09h16DA REDAÇÃO
Divulgação
FAMASUL - SENAR

Na manhã de ontem (18), a Prefeitura de Campo Grande e o Exército Brasileiro apresentaram à imprensa os dados relativos às atuações de combate ao mosquito Aedes aegypti e as ações para o tratamento dos casos diagnosticados ou sob suspeita. A coletiva foi realizada no Núcleo do 9º Batalhão de Saúde e participaram da mesa, o coronel Medina, representando o Exército, o secretário de saúde do município, Ivandro Corrêa Fonseca, o coordenador de Controle de Endemias Vetoriais da Sesau, Alcides Ferreira, a diretora de Vigilância em Saúde da Sesau, Cláudia Calderan, a diretora de Assistência à Saúde da Sesau, Rosimeire Arias e Wilton Vilas Boas de Paula, titular da Delegacia Crimes Ambientais (DECAT). 

Foram apresentados os principais aspectos das doenças, as estratégias de combate ao mosquito Aedes aegypti, futuras ações e o papel do Exército, inclusive respondendo as dúvidas quanto à utilização das tendas de campanha instaladas nas Unidades de Pronto Atendimento (UPA) da Vila Almeida e Universitário. A equipe da saúde esclareceu que as tendas fornecidas pelo Exército tiveram que ser readequadas para as necessidades, em função da refrigeração. Não foram utilizadas até o momento pelo fato de a demanda não justificar seu uso. 

Agora, as tendas foram readequadas e os equipamentos de ar-condicionado atendem às exigências, estando, portanto, em condições plenas de uso. Todos os pacientes foram atendidos a contento com a estrutura oferecida pelas UPAs, e as tendas serão destinadas à hidratação parenteral, caso os pacientes necessitem. É, portanto, uma medida preventiva se proventura ocorrerem casos em números acima dos esperados, os pacientes já contarão com uma estrutura adequada, pronta para fucionamento.

Em relação aos kits de análise, Rosimeire Arias salientou que a gestão da saúde é tripartite (União, Estado e Município), sendo que o envio dos kits é de responsabilidade do Ministério da Saúde, mas que em casos de epidemia não haverá kits para todos os pacientes, o que não prejudica ou invalida o tratamento, uma vez que os profissionais da saúde saberão diagnosticar e terão o apoio de hemogramas (exames de sangue), para os quais a rede municipal de saúde está capacitada para realizar. Os exames para confirmação do Zika vírus são feitos exclusivamente pelo Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo, que atende a todo o país.

O secretário Ivandro Fonseca, em nome do prefeito Alcides Bernal, agradeceu o apoio de toda a imprensa na divulgação dos trabalhos efetuados pelos diversos parceiros, sob o comando da Sesau, bem como na conscientização da população para os perigos de enfrentarmos uma epidemia de Dengue, Chigungunya e Zika. Solicitou que continuem denunciando locais de possíveis focos para que as equipes possam fazer a vistoria in loco. 

A próxima coletiva com a participação dos setores de saúde do município e do Exército foi marcada para o dia 8 de janeiro de 2016 em horário e local a serem definidos.

Banner Whatsapp Desktop
OAB

Últimas Notícias

ver todas as notícias

Enquete

Você é a favor do lockdown em Campo Grande?

Votar
Resultados
GAL COSTA
Cornavirus
agecom - fullbanner