12 de dezembro de 2019 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
REMÉDIO

Compra compartilhada de medicamentos reduz fila de espera e garante economia de até 30% ao Estado

Estados asseguram celeridade na aquisição de remédios para doenças de alta complexidade

29 novembro 2019 - 12h18
A expectativa do Governo é que a primeira aquisição de remédios neste modelo de licitação chegue em Mato Grosso do Sul já na segunda quinzena de janeiro de 2020
A expectativa do Governo é que a primeira aquisição de remédios neste modelo de licitação chegue em Mato Grosso do Sul já na segunda quinzena de janeiro de 2020 - Foto: Agência Brasil

Pacientes que necessitam de medicamentos para tratamento de doenças degenerativas e de alta complexidade vão contar com a distribuição mais célere de remédios, em Mato Grosso do Sul. A deliberação desta nova modalidade de compra pelo Consórcio Brasil Central também deve reduzir os custos para o Estado em até 30%.

A publicação do Edital de licitação foi nesta quinta-feira (28), na última reunião do 21 º Fórum de Governadores do Consórcio Interestadual para Desenvolvimento do Brasil Central , em São Luiz do Maranhão. 

O pregão para a compra dos medicamentos acontece no dia 11 de dezembro, na modalidade menor valor por item, visando formar o Sistema de Registro de Preços. A licitação conta com subsídios de R$ 170 milhões, recursos dos sete estados integrantes do BrC: Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás, Tocantins, Maranhão, Distrito Federal e Rondônia.

Em visita ao Porto de Itaqui, governador defende mais projetos para modernizar logística do País

“A lógica do Consórcio é discutirmos o desenvolvimento dos nossos Estados conjuntamente. Quando avançamos em pautas importantes, como esta da compra de medicamentos, isto representa um avanço”, disse o governador Reinaldo Azambuja.

Para Reinaldo, além da otimização do processo licitatório, que nos moldes tradicionais levam no mínimo 60 dias no seu trâmite, a compra conjuntamente com sete Estados vai forçar a queda nos valores praticados pelo mercado farmacêutico.”São 170 milhões de reais de compras para sete Estados, com certeza terá uma redução de custo”, completou.

A expectativa do Governo é que a primeira aquisição de remédios neste modelo de licitação chegue em Mato Grosso do Sul já na segunda quinzena de janeiro de 2020. A contrapartida do Estado para o pregão é de R$ 25 milhões.   

O secretário de Estado de Governo e Gestão Estratégica, Eduardo Riedel, adiantou que a compra envolve 103 medicamentos de alta complexidade. “A nova modalidade vai nos assegurar agilidade, redução substancial do custo dos medicamentos mas, principalmente, beneficiar a população de Mato Grosso do Sul que precisa dos remédios para uma melhor qualidade de vida”.

Consórcio Brasil Central

Na última reunião do ano de 2019, os governadores do Grupo e secretários de Estados também discutiram projeto que têm objetivo de estimular o setor turístico desta região, logística e infraestrutura.

A ideia é criar um roteiro turístico que envolve estes Estados. “Apresentamos a região na feira de Londres e estamos discutindo um roteiro único para o Brasil Central  que atraia mais investimentos para nossos Estados”, completou Riedel.

O governador também destacou que o grupo discutiu bastante projetos que melhore a logística dos Estados.  No Porto de Itaqui, ele ressaltou que o investimento neste segmento é o que o Brasil precisa. “Investimentos em Portos e outros modais garantem o escoamento das nossas riquezas”, finalizou.

2020

Com uma agenda extensa para 2020, o BrC Global foi autorizado pelo Conselho de Administração do Consórcio Brasil Central. O projeto prevê parcerias com a Câmara de Comércio Indústria Luso-Brasileira, com o grupo de Líderes Empresariais – Lide China, e com a Embaixada da Espanha. Como destaque, o projeto visa reuniões e rodadas de negócios com empresários com os stakeholders dos mercados estrangeiros. Durante o Conselho de Administração também foi apresentado o andamento do projeto Compras Compartilhadas, que teve hoje o seu edital publicado e deve suprir os estados com medicamentos de alto custo e trazer economicidade para Unidades da Federação consorciadas.

Beatricce Bruno – Subsecretaria de Comunicação de Mato Grosso do Sul com Assessoria BrC
Fotos: Ico Victório

TJ MS Novembro