20 de setembro de 2019 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
andorinha2
MOBILIZAÇÃO

Começa amanhã mobilização de agentes de saúde para busca ativa de focos de Aedes Aegypti

Secretaria Municipal de Saúde de Campo Grande convocou todos os profissionais das Equipes de Atenção Básica e de Vigilância em Saúde

10 fevereiro 2019 - 13h17Da redação
Equipes vão visitar todos os imóveis no período de 11 a 22 de fevereiro
Equipes vão visitar todos os imóveis no período de 11 a 22 de fevereiro - Divulgação

A Prefeitura de Campo Grande por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) convocou todos os profissionais das Equipes de Atenção Básica e de Vigilância em Saúde a realizarem busca ativa de criadouros e focos de Aedes Aegypti em todos os imóveis no período de 11 a 22 de fevereiro. A convocação foi publicada na edição do dia 6 de fevereiro no Diogrande, na página 13.

A Sesau conta com 198 equipes nas unidades básicas de saúde (UBS) e de saúde da família (UBSF), aproximadamente 3280 profissionais, entre agentes comunitários de saúde, enfermeiros, técnicos de enfermagem e médicos, e de 426 agentes de combate de endemias. Eles trabalham em conjunto e agora devem vistoriar todos os imóveis e orientar moradores, fazer a busca ativa para eliminar criadouros do mosquito que transmite a dengue, zika e chicungunha.

O documento publicado no Diogrande leva em consideração que no último Levantamento de Índice Rápido para Aedes Aegypti – LIRAa, realizado no período de 14 a 18 de janeiro, em 91,3% dos extratos da pesquisa tiveram Índice de Infestação Predial (IPP) acima do recomendado pelo Ministério da Saúde que é de até 1%.

O secretário de Saúde, Marcelo Vilela, explica que a convocação é para diminuir a incidência do Aedes. “Estamos entrando num período crítico com o início de muita chuva e calor associados, que são fatores essenciais para a proliferação do mosquito. Precisamos trabalhar em conjunto para eliminar todos estes criadouros e diminuir os casos de doenças transmitidas pelo Aedes”, disse.

Até janeiro deste ano, foram notificados 2338 casos de dengue, 45 de zika e 40 de chikungunya. Em janeiro do ano passado (2018), foram notificados 374 casos de dengue, 27 de chikungunya e 22 de zika.

A superintendente de Vigilância em Saúde, Veruska Lahdo, esclarece que a participação da população nesta mobilização é muito importante. “Se cada morador fizer a sua parte na sua casa, com certeza conseguiremos diminuir os focos do mosquito e impedir um crescimento elevado dos casos das doenças”.

TJMS