18 de junho de 2018 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
BANNERS - LEILÃO NELORE JMP
GOVERNO

Primeiro empreendimento do País na modalidade “Faixa 1,5” é entregue na Capital

14 junho 2018 - 11h02

Campo Grande (MS) – O programa Minha Casa, Minha Vida – “Faixa 1,5” está realizando o sonho de muitas famílias em Mato Grosso do Sul por meio do subsídio do Governo do Estado. Na manhã do feriado municipal dessa quarta-feira (13.6) – aniversário de Santo Antônio, padroeiro de Campo Grande -, 72 pessoas receberam a chave de seus apartamentos e fazem planos com o dinheiro que antes era investido em aluguel.

O residencial Itambé é o primeiro no País a ser entregue na modalidade 1,5. Essa faixa intermediária foi desenvolvida para aquelas famílias que tem renda mensal de até R$ 2.600.

A confeiteira Eliane Viegas não conteve a emoção ao abrir a porta de seu apartamento junto do marido e os dois filhos. “É uma emoção única saber que agora você tem um cantinho para chamar de seu. O lugar é lindo, meus filhos amaram, tem até parquinho. Só tenho a agradecer ao Governo do Estado pelo subsídio, sem ele eu não teria como dar entrada no valor do apartamento”.

Outro morador beneficiado pelo subsídio foi o caminhoneiro Edson Montezano. “Sem essa ajuda seria quase impossível a compra do imóvel. Esse subsídio ajudou muita gente que tinha o sonho da casa própria”, disse acompanhado da namorada com quem pretende se casar em breve.

Quem tem cadastro na Agência de Habitação Popular de Mato Grosso do Sul (Agehab) pode receber até R$ 6 mil de complemento para financiar sua moradia. O valor mínimo de subsídio será de R$ 1,5 mil.

A vice-governadora, Rose Modesto esteve presente no evento e destacou as ações do Governo na área da habitação. “O nosso trabalho é desenvolvido para atender a necessidade das famílias que sempre sonharam com a casa própria. Sabemos da crise que estamos enfrentando, mas com garra e humildade estamos conseguindo vencer os obstáculos. Fico feliz em saber que vocês, a partir de hoje, não terão mais que gastar com aluguel, o dinheiro das parcelas mensais serão investidos no imóvel de vocês”.

Na Capital poderão ser concedidos benefícios no valor máximo de até R$ 6 mil; para Dourados o valor é de até R$ 5 mil. Para municípios com mais de 50 mil habitantes o valor disponível é de R$ 3 mil.

Em Campo Grande, até o dia 12 de junho 563 famílias foram atendidas pelo Programa, totalizando um valor de R$ 2.934.383,79. Já em Dourados 500 famílias foram atendidas, entre os valores reservados e pagos o valor total de investimentos é de R$ 2.056.251,44.

A obtenção do subsídio dependerá da apresentação das contas ativas e inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), além da autorização para utilização do salto até o limite necessário para aquisição do financiamento.

Para a diretora-presidente da Agehab, Maria do Carmo Avesani Lopez, os novos empreendimentos movimentam a economia da cidade. “Além de oferecer o acesso das famílias à casa própria, essa modalidade gera empregos para Mato Grosso do Sul. Além do residencial Itambé, outros empreendimentos já estão em construção em Campo Grande, além de Dourados onde também existe obras em andamento”.

Os empreendimentos cadastrados no Programa estão disponíveis no site da Agência.

Texto e fotos: Rosana Moura – Agência de Habitação Popular de Mato Grosso do Sul (Agehab) 

ALMS CORTESIA
TJ MS