24 de abril de 2019 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
SEGOV/ENTREGAS B
APOIO

Mototaxistas pedem apoio dos vereadores para regulamentação de aplicativos de transporte

Durante a sessão, os vereadores ouviram as reivindicações e comprometeram-se a analisar quais providências podem ser adotadas

13 fevereiro 2019 - 11h41Da redação com informações da assessoria
Desde 2017, há impasse judicial sobre o decreto que estabelece dispositivos relacionados a aplicativos de transporte urbano
Desde 2017, há impasse judicial sobre o decreto que estabelece dispositivos relacionados a aplicativos de transporte urbano - Foto: Divulgação

Mototaxistas estiveram na Câmara de Vereadores de Campo Grande na sessão ordinária desta terça-feira (12) pedindo apoio dos vereadores para cobrar a regulamentação dos transportes, vinculados a aplicativos. Eles reclamam que precisam pagar vários tributos, têm número limitado de alvarás, mas essas mesmas regras não se aplicam aos motoristas de aplicativos de transporte. 

Durante a sessão, os vereadores ouviram as reivindicações e comprometeram-se a analisar quais providências podem ser adotadas. O vereador Prof. João Rocha, presidente da Casa de Leis, disse que a Câmara está aberta para todos. "A população pode procurar os vereadores sempre que precisar, para reivindicar, sugerir ou reclamar. Estaremos atentos para buscar o melhor para o interesse público", disse.    

Já foi feito convite para que na sessão ordinária da próxima quinta-feira (14), representante dos mototaxistas possa usar a Tribuna para apresentar as dificuldades e as reivindicações da categoria. Ainda, o vereador Chiquinho Telles, líder do prefeito Marquinhos Trad na Câmara, propôs que uma comissão dos mototaxistas seja formada para levar os pedidos da categoria ao chefe do Executivo Municipal e secretários.     

No começo deste mês, decisão judicial rejeitou Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado entre prefeitura e Ministério Público Estadual para regulamentar a profissão do motorista de transporte por aplicativo. Desde 2017, há impasse judicial sobre o decreto que estabelece dispositivos relacionados a aplicativos de transporte urbano.