19 de julho de 2018 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
CAMPO GRANDE EXPO
POLÍTICA

Marun vê 'possibilidade de o candidato do governo vencer as eleições'

O ministro não acredita também que possa vir outra denúncia contra o presidente Temer, por conta de novas acusações contra ele

17 abril 2018 - 16h47

O ministro-chefe da Secretaria de Governo, Carlos Marun, minimizou o resultado da última pesquisa Datafolha em relação à sucessão presidencial e, dizendo-se "otimista", viu até mesmo aspectos positivos na avaliação de Michel Temer, mesmo com os 70% de rejeição que lhe foram atribuídos. "Já foi maior a rejeição", afirmou ele, ao ignorar os quatro candidatos que estão à frente na corrida eleitoral, destacando que "as pessoas começam a abrir os olhos, não obstante estejamos sob ataques de flechas envenenadas" e "vão reconhecer os avanços do governo". Ao se referir aos candidatos que lideram as pesquisas, o ministro disse que "não é momento de brincar de salvador da Pátria". O ministro não acredita também que possa vir outra denúncia contra o presidente Temer, por conta de novas acusações contra ele.

Ainda demonstrando o seu otimismo, o ministro Marun chegou a falar na "possibilidade de o candidato do governo vencer as eleições", embora o presidente Temer e o seu ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles, ambos peemedebistas, tenham apenas 1% das intenções de votos. Marun destacou que "não gostaria que alguém se eleja mentindo, dizendo que nada foi feito de positivo pelo governo" e passou a listar os avanços que considera que foram realizados, como a lei do teto de gastos.

Em seguida, Marun desqualificou os outros candidatos que estão à frente na pesquisa. "Quem está liderando as pesquisas? 30% do ex-presidente Lula, que sabemos não poder ser candidato. Na sequência, vem Bolsonaro (Jair Bolsonaro, do PSL), na sequência, vem Marina (Marina Silva, da Rede) e Joaquim Barbosa (ex-ministro do Supremo Tribunal Federal, do PSB). Daqui a pouco, o País vai cair na real e saber que isso aqui é um País que tiramos de um completo descalabro há dois anos, e que não é momento de brincar de salvador da Pátria".

Questionado se estava desqualificando todos os candidatos que lideravam a pesquisa, Marun disse que não e passou a listar as plataformas do governo, que terão de ter defendidas por todos, na sua opinião, como reforma da Previdência. "Quem se eleger sem essa pauta, realmente não está à altura do enfrentamento dos reais problemas do País", comentou ele, reconhecendo, no entanto, que isso pode acontecer, mas pediu que "todos se conscientizem". E depois de destacar que o parlamentares sabem dos avanços desse governo, Marun emendou: "não posso perder a esperança do voto que vamos ter de dar em outubro".

Segundo o ministro Marun, o presidente não ficou abatido com os números da pesquisa, explicando que Temer tem energia para enfrentar os problemas e tem surpreendido a todos. Ele lembrou que, desde o início da crise, todos perguntavam como e se o presidente ia resistir. "E nós insistíamos que íamos resistir e avançar." E agora, prosseguiu o ministro, insistindo que continuam resistindo e avançando, mostrando e insistindo nos avanços do governo.

João Bosco e Banda
PI SENAR MS 2018 centroexcelencia full-banner 940x100px