14 de agosto de 2020 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
agecom
AGÊNCIA DE NOTÍCIAS

Frente Parlamentar contribuirá para mudar quadro crítico do setor do leite de MS

O encontro foi proposto pelo deputado Renato Câmara (PSDB), coordenador do grupo de trabalho

10 dezembro 2019 - 17h40Osvaldo Júnior
Frente Parlamentar do Leite realizou a primeira reunião nesta terça-feira para dar posse a integrantes
Frente Parlamentar do Leite realizou a primeira reunião nesta terça-feira para dar posse a integrantes - Foto: Divulgação
FAMASUL - SENAR

Elevado custo, queda da produção, falta do incentivo, importação e desmotivação do produtor, estão entre os principais problemas da cadeia produtiva do leite de Mato Grosso do Sul. A busca de políticas para enfrentar essa situação será intensificada na Assembleia Legislativa através da Frente Parlamentar do Leite, cujos membros tomaram posse na tarde desta terça-feira, durante reunião realizada no Plenário Deputado Júlio Maia, na Casa de Leis. O encontro foi proposto pelo deputado Renato Câmara (PSDB), coordenador do grupo de trabalho.


Deputado Renato Câmara é o coordenador da Frente Parlamentar

O deputado informou que 19 parlamentares e 29 instituições integram a Frente. “Historicamente, os produtores de leite vêm discutindo diversos problemas do setor em seus sindicados, nas associações. Agora, esse debate será feito, de modo intensificado, na Assembleia Legislativa, através desta Frente Parlamentar. Vamos propor projetos de lei, buscar políticas de governo para melhorar a situação dos produtores”, afirmou Renato Câmara.

Durante a reunião, titulares e suplentes de entidades ligadas à cadeia produtiva do leite assinaram o termo de posse (veja a relação no fim da matéria). Encerrado o ritual de posse, foram apresentadas dificuldades enfrentadas pelo setor em Mato Grosso do Sul e mencionada a experiência em andamento em Goiás.

Cenário crítico

“O cenário de Mato Grosso do Sul é crítico”, avaliou o presidente do Núcleo dos Criadores de Girolando do Estado, Marcelo Renck Real. Números mostrados por Real ajudam a dimensionar esse quadro. Em duas décadas (de 1990 a 2010), a produção sul-mato-grossense subiu de 399 mil para 511 mil litros, alta de 28%, conforme informou Marcelo Renck. No mesmo período, o crescimento contabilizado no Brasil foi de 118% e, na região Centro-Oeste, de 190%.



Marcelo Renck apresentou as dificuldades do cenário do leite em MS

Outro dado,  apresentado por Renck Real, mostra que, de 2014 a 2018, a produção de leite em Mato Grosso do Sul caiu 41,52%. O presidente do Núcleo dos Criadores de Girolando também discorreu sobre outro problema: a importação. Até 2014, o Estado era superavitário na balança comercial do leite, com produção de 528,73 mil litros e exportação de 78,23 mil litros. No entanto, desde 2015 registra somente saldos negativos na balança. Em 2018, por exemplo, a produção de leite em Mato Grosso do Sul somou 309,211 mil litros e precisou importar 141,289 mil litros.   

Apesar dos números, o setor do leite de Mato Grosso do Sul pode crescer de modo significativo. “O Estado tem muito potencial”, afirmou Marcelo Renck. Entretanto, de acordo com ele, é preciso superar o círculo vicioso, formado pela ausência de incentivo governamental, a renda reduzida do produtor e baixa competividade da indústria. “O problema não está apenas no governo, no produtor e na indústria, mas nos três em conjunto”, afirmou. “Se nada for feito, o setor de leite do Estado está fadado ao insucesso contínuo”, finalizou.

Experiência goiana

Caminhos para a solução do problema podem ser buscados em experiências de outros estados, como Goiás. O deputado goiano Amauri Ribeiro (Patriota) falou sobre a situação do setor do leite em seu estado e o movimento que busca saídas para as principais dificuldades. “Chegamos a vender o leite por 75 centavos há um ano. Isso é uma vergonha, um tapa na cara do produtor”, disse o parlamentar. Entre os fatores dessa desvalorização, está a importação elevada do leite pela indústria.

No processo para mudar esse quadro, está sendo fundamental a união entre os produtores, conforme afirmou o deputado. Eles pressionaram o governo goiano a criar mecanismo para reduzir a importação de leite. Com isso, ficou decidido que os laticínios que deixassem de comprar do produtor local para importar perderiam incentivos fiscais.  


Deputado Amauri Ribeiro tratou sobre a situação do setor em Goiás

O deputado Amauri Ribeiro, apoiado pelos produtores, criou um programa, denominado “Beber mais leite”. “Nesse programa, colocamos a ‘Pauta da Dignidade’. É tão simples que chega a ser banal”, disse o parlamentar. Na “Pauta da Dignidade”, os produtores de leite exigiram da indústria a antecipação do pagamento e a informação do preço. Na concretização dessa pauta, os produtores goianos contam com a intermediação do governo. “No dia 20 deste mês, teremos uma reunião em que será determinado pelo governo que os laticínios antecipem o preço”, informou.

Outras autoridades, ligadas ao setor do leite, também falaram durante a reunião. Encerradas as falas, o deputado Renato Câmara lembrou que o primeiro encontro foi apenas para tomada de posse dos membros da Frente Parlamentar e para apresentação do quadro do setor do leite sul-mato-grossense. A experiência de Goiás servirá para discussões, nos próximos encontros, sobre as possíveis ações que poderão ser realizadas por Mato Grosso do Sul.

Além do coordenador Renato Câmara, a Frente Parlamentar do Leite tem a participação dos seguintes deputados estaduais: Antônio Vaz (Republicanos), Capitão Contar (PSL), Coronel David (PSL), Eduardo Rocha (MDB), Evander Vendramini (PP), Herculano Borges (Solidariedade), Jamilson Name (PDT), Lidio Lopes (PATRI), Lucas de Lima (Solidariedade), Marcio Fernandes (MDB), Neno Razuk (PTB), Onevan de Matos (PSDB), Paulo Corrêa (PSDB) e  Professor Rinaldo (PSDB).

Abaixo, a relação dos membros da Frente Parlamentar do Leite que assinaram o termo de posse:

Abraleite  – Associação Brasileira dos Produtores de Leite

Titular: Ronan Rinaldi de Souza Salgueiro

Suplente: Lineu Pascaloto

Agraer – Agencia de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural

Titular: Arnaldo Santiago Filho

Suplente: Rosemeire Lander Borges

Assentamento Fortuna – Associação de Desenvolvimento do Assentamento Fortuna

Titular: Elenir Vicente Gomes

Suplente: Claudecir Pedro Boff

APLAI – Associação de Produtores de Leite do Assentamento Itamarati

Titular: Ezequiel Aparecido dos santos Gonçalves

Suplente: Ginaldo Carvalho da Mota

Assomasul – Associação dos Municípios do Mato Grosso do Sul

Titular: Prefeito de Bandeirantes : Alvaro Nackle Urt

Suplente Prefeito de Ribas do Rio Pardo: Paulo Cesar Lima Silveira

Asplanza – Associação dos Produtores de Leite do Assentamento N. Sra. Auxiliadora  

Titular: José Carlos dos Santos

Suplentes: Erasmo Luiz de Oliveira e José Aparecido dos Santos

Associação Brasileira dos Criadores de Girolando           

Titular: Aurora Trefzger Cinato Real

 Suplente: Thiago Barros Xavier

Conseleite – Conselho Paritário de Produtores /Indústrias de Leite do Estado de Mato Grosso do sul

Titular: Paulo Fernando Pereira Barbosa

Suplente: Wilson Nobuyuki Igi

CRMV – Conselho Regional de Medicina Veterinário/MS           

Titular: Rodrigo Bordin Piva

Suplente: Jair Vicente de Oliveira

Cooplaf – Cooperativa Agrícola Mista da Pecuária Leiteira e de Corte e da Agricultura Familiar 

Titular: Maria Nelzira Cardoso da Silva Garcia

Suplente: Lucilha de Almeida

Famasul – Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul               

Titular: Juliano Aguiar Bastos

 Suplente: Fernanda Lopes de Oliveira

Grupo Independente de Leite de Glória de Dourados 

Titular: José Sabino Sobrinho

Suplente: Jurandi da Silva Vita

Iagro – Agência Estadual de Vigilância Sanitária/MS

Suplente: Rubens de Castro Rondon

Imasul – Instituto do Meio Ambiente do Estado de Mato Grosso do Sul

Titular: Maria Helena Salomão

Suplente: Jânio Fagundes

Núcleo dos Criadores de Girolando MS

 Titular: Marcelo Renck Real

OAB – Ordem dos Advogados do Brasil

Titular: Gervásio Alves de Oliveira Neto

Suplente: Marcel Sabala Carrijo

OCB/MS – Sindicato e Organização das Cooperativas Brasileiras no MS               

Titular: Fabrício Soares

Sebrae/MS – Serviço Brasileiro de Apoio à Pequenas Empresas

Titular: Marcus Rodrigo de Faria

Semagro/MS – Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar/MS

 Titular: Orlando Serrou Camy Filho

 Suplente: Ariani Monaly Castro Lima Garcia Monteiro

Senar/MS – Serviço de Aprendizagem Rural em MS

Titular: Juliano Coelho Bergler

SFA-MS – Superintendência Federal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento              

Titular: Elisângela Longo Vendruscolo

Silems – Sindicato das Indústrias de Laticínios do Estado de Mato Grosso do Sul             

Titular: Milene de Oliveira Nantes

Suplente: Paulo Fernando Pereira Barbosa

Sindivet – Sindicato dos Médicos Veterinários do Estado do Mato Grosso do Sul           

Titular: Eduardo Barbosa Strang

Suplente: Sharlene Nascimento Demétrio

Sindicato Rural de Campo Grande - MS               

Titular: Luciana Garcia Gabas Coelho

Suplente: Wilson Nobuyuki Igi

UEMS – Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul

Titular: Marcus Vinicius Morais de Oliveira

Crea/MS – Conselho Regional de Engenharia

Titular: Justino Mendes de Aquino

Suplente: Altamiro Nogueira Barbosa

Sicredi/MS – Cooperativa de Crédito de MS

Titular: Henrique Rocha Klimek

Rebeca Nantes Rezende

Assentamento Lagoa Azul de Rio Brilhante

Titular: Alcebíades Benites

Banner Whatsapp Desktop
Cornavirus
agecom - fullbanner