19 de julho de 2018 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
CAMPO GRANDE EXPO
POLÍTICA

Alckmin: decisão do STF sobre Aécio 'entristece', mas a 'lei é para todos'

17 abril 2018 - 17h00

O presidente do PSDB, Geraldo Alckmin, disse nesta terça-feira, 17, que a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de tornar o senador Aécio Neves (PSDB-MG) réu por obstrução de Justiça e corrupção passiva "entristece", mas enfatizou que não existe Justiça "vermelha ou amarela" e, portanto, é preciso respeitar as decisões dos magistrados. "Claro que entristece (a decisão do STF). Não existe Justiça verde, amarela, vermelha ou azul. Decisão judicial se respeita, a lei é para todos", afirmou.

Alckmin foi questionado então sobre o embaraço criado ao seu partido, às vésperas das eleições presidenciais, por ter um senador no banco dos réus. Pré-candidato do PSDB à Presidência, Alckmin negou qualquer constrangimento. E também disse que o senador é quem decidirá seu futuro político. "Cabe a ele (Aécio Neves) definir o que fazer (sobre candidatura em 2018), como vai fazer", afirmou.

Mais cedo, em palestra para vereadores, durante evento organizado pela Associação Brasileira de Câmaras Municipais (Abracam), Alckmin foi questionado exatamente sobre o tema da corrupção e elevou o tom. "Quem enriquece na política é ladrão", disse.

À imprensa, ele não quis analisar se esse também era o caso do seu colega de partido. "Não vou fazer um pré-julgamento (sobre o caso). Aécio é de uma família abastada", respondeu.

Presente ao evento com Alckmin, o presidente do PSDB de Minas Gerais, deputado Domingos Sávio, procurou dissociar o julgamento da imagem do partido, assim como outros tucanos fizeram desde o início do dia. "Era previsível (o resultado do julgamento), mas não é que seja uma coisa natural. Agora é oportunidade de ele (Aécio) se defender", afirmou.

Sávio ainda ouviu perguntas sobre como fica a candidatura de Aécio em Minas Gerais após essa decisão. O senador tentava se viabilizar como candidato à reeleição, mesmo diante da resistência de alguns setores tucanos. "A coisa do Aécio está dissociada da política. Aécio queria o melhor para Minas e já conseguiu isso, agora ele vai cuidar da sua defesa", respondeu.

João Bosco e Banda
PI SENAR MS 2018 centroexcelencia full-banner 940x100px