10 de agosto de 2020 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
agecom
PF PRENDE AMIGO DO LULA

Polícia Federal prende em Brasília pecuarista José Carlos Bumlai

Operação Passe Livre cumpre mandados de condução coercitiva em sete cidades, entre elas Dourados e Campo Grande

24 novembro 2015 - 08h43Da Redação com Agência Brasil
O pecuarista José Carlos Bumlai, amigo muito próximo do ex-presidente Lula, no curso da 21ª fase da Lava Jato, batizada de Passe Livre
O pecuarista José Carlos Bumlai, amigo muito próximo do ex-presidente Lula, no curso da 21ª fase da Lava Jato, batizada de Passe Livre - Veja
HVM

A Polícia Federal (PF) prendeu nesta terça-feira (24), em Brasília, o empresário e pecuarista José Carlos Bumlai, na Operação Passe Livre, 21ª fase da Operação Lava Jato. Ele foi levado para a Superintendência da PF, em Curitiba, onde ficará preso preventivamente. Bumlai iria depor hoje, às 14h30, na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do BNDES, na Câmara dos Deputados, que investiga operações envolvendo o banco estatal. Bumlai é proprietário da Usina São Fernando de açúcar e álcool, que fica na região de Dourados. 

A Operação Passe Livre investiga indícios de fraude em licitação na contratação de navio sonda pela Petrobras. Estão sendo cumpridos 25 mandados de busca e apreensão, um mandado de prisão preventiva e seis mandados de condução coercitiva em São Paulo (SP), Lins (SP), Piracicaba (SP), Rio de Janeiro (RJ), Campo Grande (MS), Dourados (MS) e Brasília (DF). 

Segundo a PF, “complexas medidas de engenharia financeira foram utilizadas pelos investigados com o objetivo de ocultar a real destinação dos valores indevidos pagos a agentes públicos e diretores da estatal”. 

Participam da operação, 140 policiais federais e 23 auditores fiscais. Os investigados nesta fase responderão pela prática dos crimes de fraudes a licitação, falsidade ideológica, falsificação de documentos, corrupção ativa e passiva, tráfico de influência e lavagem de dinheiro. 

Aqueles para os quais foram deferidas ordens de condução coercitiva serão ouvidos no município onde forem localizados, enquanto o preso preventivamente será transferido para a custódia da Polícia Federal em Curitiba onde permanecerá à disposição do juízo da 13ª Vara Federal de Curitiba/PR. 

Banner Whatsapp Desktop
OAB

Últimas Notícias

ver todas as notícias

Enquete

Você é a favor do lockdown em Campo Grande?

Votar
Resultados
GAL COSTA
Cornavirus
agecom - fullbanner