04 de julho de 2020 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
assembleia respeito
ANAIS DO TRÁFICO

Forte cheiro vindo de assento de motorista em Dourados faz polícia apreender skunk e erva

Motorista ficou nervoso e entregou pacotes de maconha antes de descer da perua

30 junho 2020 - 09h50

A Polícia Militar Rodoviária apreendeu mais de meia tonelada de maconha e alguns tabletes de skunk (maconha mais power e que falaremos mais abaixo) dentro de um Pálio Weekend, na rodovia MS-162, no sentido do distrito do Itanhum rumo a Dourados.

Por volta das 18h, os policiais avistaram a perua, com placas de Rio Brilhante e dois ocupantes, e deram ordem de parada. Assim que a janela abriu, o forte cheiro agridoce suave subiu do assento do motorista, que nem esperou mais. Ficou nervoso, tremedeira e já se entregou.

A maconha estava toda dividida no carro, sendo que o destino final era Dourados, vinda de Ponta Porã, segundo os dois homens, um de 48 e outro de 24.

Agora, vamos lá. O que é a maconha skunk? Tem gente que escreve Skank, o nome da banda, que de certa forma também é uma droga.

Ela é uma variação de maconha feita em laboratório, praticamente. Usualmente, a concentração de THC na maconha é de 2% a 4%;[1] no skunk, essa concentração é de aproximadamente 14% a 15%, podendo chegar a 30%, dependendo das espécies e da qualidade das sementes usadas no cruzamento, e sua produtividade pode ser de até 400/500 g por m², em sistemas de cultivo otimizados.

O skunk é cultivado em ambiente controlado, com iluminação intensa e nutrientes adequados, podendo ser utilizado o sistema hidropônico, aquele com muita água. Ela é mais cara e por isso vem em quantidades menores do Paraguai, do que a maconha tradicional. Entendeu?