13 de novembro de 2018 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
FULLBANNER-DOE-ORGAOS 1260X120  campanha “DOAÇÃO DE ÓRGÃOS
INTERNACIONAL

Trump e May concordam sobre necessidade de controlar fronteiras e pressionar Irã

13 julho 2018 - 10h26

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e a primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, mostraram-se afinados não apenas na questão comercial, durante entrevista coletiva nesta sexta-feira, mas também sobre a necessidade de garantir a segurança das fronteiras.

Trump criticou duramente as leis imigratórias dos EUA e chegou a dizer que "nem as chamaria de leis", mas enfatizou o trabalho de seu governo para endurecer as fronteiras e buscar regras mais duras para controlar o fluxo de pessoas. Para Trump, a imigração "tem sido muito ruim para a Europa", pelos riscos de entrada de extremistas e pela suposta perda de identidade cultural. May, por sua vez, lembrou que um dos motivos na separação do Reino Unido da União Europeia, o chamado Brexit, é garantir o controle sobre a imigração. Ela disse que seu país tem orgulho de receber historicamente muitas pessoas, mas que é preciso ordenar esse fluxo.

Além da questão imigratória, May insistiu que o Brexit permitirá que busque acordos comerciais com vários outros países, inclusive com os EUA. Ela citou como um de seus alvos futuros a região do Pacífico, sem especificar nações nesse caso.

Trump ainda agradeceu o apoio da premiê durante a cúpula desta semana da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) em Bruxelas, durante a qual ele insistiu por um aumento nos gastos em defesa dos membros da aliança. "Tivemos uma reunião muito produtiva", afirmou, negando que o resultado do encontro tenha sido ruim.

May agradeceu o apoio do governo de Washington no episódio do envenenamento em março de um ex-espião russo na Inglaterra. Londres atribuiu a culpa no episódio ao governo do presidente russo, Vladimir Putin, e os EUA apoiaram o aliado com a expulsão de diplomatas russos. Agora, Trump deve se reunir com Putin nesta segunda-feira, diálogo que May disse apoiar. O presidente americano afirmou que não tem grandes expectativas sobre o encontro, mas que poderia haver avanços importantes. Sem entrar em detalhes, comentou que um interesse seria um acordo para a redução de armamentos nucleares. Na pauta com Putin, informou que deve estar temas como a situação na Ucrânia, na Síria, no Oriente Médio em geral e também a questão da proliferação nuclear. "Certamente tratarei do assunto da suposta interferência da Rússia na eleição", comentou.

Trump disse que há concordância com May sobre a necessidade de que o Irã nunca tenha armas nucleares. "Concordamos que é preciso manter a pressão sobre o regime iraniano."

Durante vários momentos, Trump agiu para enfatizar seu apoio a May, após declarações vistas como críticas a ela em uma entrevista a um jornal britânico. O presidente americano disse que aceitará seja qual for a decisão sobre o Brexit e admitiu que a negociação "não é fácil, certamente".

Trump ainda criticou os alemães pelo acordo sobre um gasoduto com a Rússia, qualificando-o como "uma tragédia". Na avaliação dele, desse modo a Alemanha fica vulnerável no futuro, já que muito de sua energia dependeria dos russos. May disse que trata do assunto no âmbito da UE, que o Reino Unido ainda integra até março próximo, lembrou, ressaltando em mais de um momento que depois disso o país já estará separado do bloco.

Últimas Notícias

ver todas as notícias

Enquete

Você está animado com a transição para um Governo Bolsonaro?

Votar
Resultados