19 de março de 2019 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
aguas Guariroba -  Banner - Campanha Março - Obras 2019
GERAL

Três dias após inaugurado, mobiliário urbano na Lapa é danificado

13 janeiro 2019 - 09h46

Inaugurado há apenas três dias pela Prefeitura do Rio de Janeiro, com o objetivo de valorizar a região do Rio Antigo e incentivar a presença de visitantes no bairro não apenas no período noturno, o mobiliário urbano com a frase RioAmaLapa, na Praça Cardeal Câmara, um dos mais conhecidos bairros boêmios da cidade, já se encontra danificado por ações de vândalos.

Quem passar pelo local e deter um olhar mais atento sobre o mobiliário verá que as letras O (que forma apalavra Rio) e L (de Lapa) estão danificadas.

Uma declaração de amor ao bairro, o mobiliário urbano foi instalado pela prefeitura da cidade com o objetivo de criar mais um ponto de atração turística, valorizando a região do Rio Antigo.

Ao participar da solenidade de inauguração do mobiliário, o presidente do Polo Novo Rio Antigo, Thiago Cesário Alvim, manifestou o desejo de que a iniciativa seja “o marco de uma maior atenção para a região”, que é o terceiro destino turístico diurno e o primeiro noturno da cidade.

É comum à noite, principalmente nos finais de semana, a Lapa receber cerca de 20 mil a 30 mil pessoas por dia. Uma consequência imediata da instalação do mobiliário é de que nos finais de tarde, desde a manhã da última quinta-feira (10), são formadas filas, a maioria turistas, querendo tirar foto tendo como pano de fundo o mobiliário.

Na manhã de hoje (13), quando a reportagem da Agência Brasil esteve no local, mesmo com a alta temperatura - a sensação oscila na casa dos 35º C - já havia fila para selfies à frente do mobiliário RioAmaLapa.

A escultura, produzida em chapas galvanizadas com acabamento em pintura automotiva e tratamento anticorrosivo, foi inspirada em peças instaladas em Amsterdã, na Holanda, e Nova York, nos Estados Unidos, onde existem mobiliário urbano com frases idênticas homenageando as duas cidades.

DENGUE