12 de agosto de 2020 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
maracaju dengue
DENGUE

Sesau e Exército ativam hospital de campanha nas UPA Vila Almeida e Universitário

Os locais já estão aptos para receber pacientes acometidos com as doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti

16 dezembro 2015 - 12h44Da redação
Divulgação/PMCG
FAMASUL - SENAR

Os dois hospitais de campanha do Exército Brasileiro que foram montados nas UPA (Unidades de Pronto Atendimento) do Vila Almeida e do Universitário já estão aptos para receber pacientes acometidos com as doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue e também da febre chikungunya e zika vírus. O UPA Vila Almeida começa a funcionar na tarde desta quarta-feira (14) e a do Universitario está funcionando desde o inicio da manhã e já abrigou dois pacientes. “Até o momento não é necessário ainda a utilização dos hospitais, mas por medida preventiva eles já estão aptos para receber os pacientes para a hidratação intravenosa”, explica o secretário municipal de Saúde, Ivandro Fonsenca.

O titular da Sesau explica ainda que o hospital de Campanha foi produzido no Canadá e climatizado, tem capacidade para 12 pacientes e tem todos os equipamentos necessários para atender a população. Ele conta, ainda, que os hospitais foram colocados estrategicamente em locais de fácil acesso nas UPA e foi feito adequações na estrutura das UPA para poder atender melhor os pacientes.

Segundo a diretora de Assistência à Saúde da Sesau, Rosemery Lima, somente os pacientes que precisam de hidratação serão atendidos no hospital de Campanha. Ela lembra que o hospital só será usado caso as unidades de saúde esteja sem vagas para a hidratação intravenosa. “Hoje até as 11horas foram notificados 10 casos de dengue, sendo cinco na Upa Vila Almeida e cinco na Universitária”, comenta.

Ela explica ainda que no Hospital de Campanha do Universitário já atendeu duas pessoas com sintomas de dengue, que eram categoria verde, e só precisavam tomar soro e depois foram liberados. “Nos temos um plano C também caso precise de mais leitos abriremos as UBS e UBSF perto dos CRS(Centro Regional de Saúde) para atenderem os pacientes que precisem de hidratação. Provavelmente o pico da dengue vai acontecer na segunda quinzena de janeiro e já estamos preparados para lidar com isso”, explica.

Para tentar combater o mosquito Aedes aegypti, a prefeitura de Campo Grande destinou mais de R$ 5 milhões para o combate e prevenção das doenças relacionadas com o mosquito. O secretario conta que para combater a epidemia de Dengue que assola Campo Grande está sendo aberto o terceiro turno – durante o qual o médico atende das 17h até as 21 horas- em 10 unidades de saúde, além do relançamento da equipe móvel que irá atender as unidades que estiveram super lotadas em função da epidemia.

Banner Whatsapp Desktop
agecom - fullbanner
Cornavirus