18 de setembro de 2018 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
HVM - INCORPORACOES
INTERNACIONAL

Renzi renuncia ao comando do Partido Democrático, que deve ficar na oposição

Líderes partidários nomearam Maurizio Martina, que foi ministro da Agricultura do último governo, como presidente interino da sigla

12 março 2018 - 13h25
Martina disse, segundo a agência italiana Ansa, que o Partido Democrata manterá o plano de Renzi de seguir na oposição e não participar agora de qualquer governo
Martina disse, segundo a agência italiana Ansa, que o Partido Democrata manterá o plano de Renzi de seguir na oposição e não participar agora de qualquer governo - AFP/Arquivo

O ex-premiê italiano Matteo Renzi renunciou formalmente nesta segunda-feira ao posto de líder do Partido Democrático. A mudança ocorre após a sigla sofrer uma dura derrota na mais recente eleição parlamentar do país. O Partido Democrático deve, porém, manter a posição de não participar do governo neste momento.

Líderes partidários nomearam Maurizio Martina, que foi ministro da Agricultura do último governo, como presidente interino da sigla. Martina disse, segundo a agência italiana Ansa, que o Partido Democrata manterá o plano de Renzi de seguir na oposição e não participar agora de qualquer governo.

Nenhum partido ou coalizão conseguiu votos suficientes na eleição de 4 de março para governar sozinho. Agora, devem ocorrer conversas difíceis para se determinar se o Movimento 5 Estrelas, que teve mais votos, ou a coalizão de centro-direita e direita liderada pela Liga, que garantiu como resultado somado mais cadeiras no Parlamento, podem formar um governo estável.

Martina disse que a Liga e o Movimento 5 Estrelas "não têm nenhum álibi agora" e deveriam "assumir sua responsabilidade" para formar o governo. 

CORTESIA SEGOV HEPATICE C
tj ms agosto