20 de junho de 2018 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
BANNERS - LEILÃO NELORE JMP
AÇÃO DE GOVERNO

Produtores de Sidrolândia comemoram obra que encurta distância e aquece economia na região da Serra da Urca

Obra beneficia também produtores rurais e assentados de Terenos e Dois Irmãos do Buriti

14 março 2018 - 12h30
Concluída no prazo recorde de 30 dias pela equipe da Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos (Agesul)
Concluída no prazo recorde de 30 dias pela equipe da Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos (Agesul) - Foto: Chico Ribeiro

Os produtores rurais de Sidrolândia comemoram a conclusão da obra de rebaixamento da cabeceira da Serra da Urca num momento importante do processo de produção da soja, que é a colheita. Concluída no prazo recorde de 30 dias pela equipe da Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos (Agesul), vinculada à Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra), a intervenção do Governo encurtou distância e garante economia ao setor produtivo da região.

“Quando você consegue encurtar caminho para o setor produtivo você dá competitividade maior. Embora seja uma estrada municipal e a responsabilidade teria que ser da Prefeitura, assim como em outros municípios, aqui em Sidrolândia o Estado tem sido parceiro, e a gente fica contente em assegurar aos produtores e à comunidade da região melhores condições de acesso”, comentou o governador Reinaldo Azambuja.

O secretário da Seinfra, Marcelo Miglioli, relata que mais uma vez o governador demonstrou a sensibilidade em atender as reivindicações da comunidade e a visão estratégia que o gestor público deve ter. Percebendo a importância da obra, Reinaldo Azambuja determinou a execução do serviço com a maior brevidade possível para que os produtores pudessem ser beneficiados já na colheita da atual safra.

Transpor a Serra da Urca era uma dificuldade para carros pesados, e com a obra acesso foi facilitado

“Com os recursos que a Agesul dispunha concluímos a obra em 30 dias. Diante das dificuldades que todos enfrentamos, tentamos fazer o melhor que o Estado pode oferecer, e a Agesul faz 100% do que é possível”, pontuou Miglioli. Ele explicou que os produtores e as pessoas que utilizam a estrada reclamavam da dificuldade em sobrepor a Serra da Urca, e que por isso o transporte de gado e de grãos era feito pelo Distrito de Quebra-Coco. “Com a intervenção feita [corte da Serra, rebaixamento e compensação do aterro] diminuímos a distância em até 30 quilômetros”, comentou.

Obra esperada há anos

O deputado estadual Enelvo Felini, que já foi prefeito em Sidrolândia, destacou um aspecto importante referente a essa reivindicação do setor produtivo. “Essa obra era um reclame permanente. Todos os governos vinham aqui, faziam reuniões, prometiam que iam fazer e nada acontecia. O governador Reinaldo Azambuja não prometeu, mas escutou os seus assessores e ouviu a sociedade e fez, e isso para nós é de suma importância”, afirmou.

Deputado Enelvo Felini: obra reivindicada há anos

Felini explica que a ação do Governo do Estado na estrada SD-22 não beneficia só os produtores de grãos e criadores de gado. “Ali passa caminhão de leite todo dia, carvão que sobe a serra, transporte escolar das crianças.  É uma estrada muito importante que alimenta assentamentos de Dois Irmãos do Buriti e de Terenos, é o caminho para ir a Sidrolândia e Campo Grande”, pontuou.

O empresário e produtor rural Sérgio Dias Campos, o “Jacaré”, diz que desde que chegou à região em 1986, a realização da obra de corte e rebaixamento da cabeceira da Serra da Urca era reivindicada. “A situação fica pior na época da chuva, fica intransitável e é preciso ir por Quebra-Coco ou Terenos. Com a obra teremos economia de tempo e de dinheiro”, comentou.

Sérgio Dias Campos: economia de tempo e dinheiro

O gerente da empresa Producel, Felipe Milani, enfatiza que a obra na SD-22 beneficia também as empresas que prestam serviço aos produtores. “Podendo usar esse caminho, que encurta a distância entre a lavoura e os armazéns, os produtores também ganham tempo, conseguem reduzir de uma hora e meia a duas horas o transporte dos grãos”, avalia. A Producel armazena cerca de 80 mil toneladas de soja e 100 mil toneladas de milho colhidas pelos produtores de Sidrolândia.

O secretário de Infraestrutura, Habitação e Serviços Públicos de Sidrolândia, Nilo Cervo, disse que se não fosse a ação do Governo do Estado a comunidade da região da Serra da Urca não seria contemplada pela obra tão cedo. “O município não teria condições nenhuma de fazer essa obra. E, antes disso, o governador Reinaldo Azambuja já havia autorizado a Agesul a fazer o cascalhamento do trecho de 30 quilômetros dessa mesma rodovia, a SD-22, que liga a Cerro Corá”, completou. Segundo ele, com a facilidade agora de transpor a Serra da Urca, a região deve se desenvolver mais ainda. “A avicultura está crescendo, já temos seis galpões de recria nessa região e outras estão interessadas em se instalar por lá”, comentou.

Outro proprietário rural a falar da importância do serviço realizado pelo Governo do Estado é Élcio Pereira, o “Mãozinha”. Ele explica que antes era preciso percorrer cerca de 60 quilômetros para sair das propriedades com grãos ou gado e, agora, o percurso caiu para 14 quilômetros. Além disso, o transporte foi otimizado, gerando economia. “Antes não dava para passar pela Serra com caminhão com mais de 10 toneladas, e com a obra do Governo do Estado já tem caminhão subindo com 15 toneladas”, afirmou.

Secretário Nilo Cervo: ajuda importante do Governo do Estado

José Agustin Acosta Neto, o “Zé Corinho”, não é de Sidrolândia, mas fez questão de acompanhar a vistoria que o governador Reinaldo Azambuja e o secretário Marcelo Miglioli fizeram na obra na Serra da Urca, na companhia do deputado Enelvo Felini e produtores rurais. Vereador que está no terceiro mandato em Terenos, onde mora em um assentamento, “Zé Corinho” destaca o perfil municipalista de Reinaldo Azambuja. “Independentemente de quem administra o município e do partido, o governador Reinaldo Azambuja tem atendido os municípios com obras importantes para a comunidade”, destacou o vereador.

“Temos conseguido atender todos os 79 municípios do Estado porque temos administrado com responsabilidade, com austeridade, tivemos que tomar medidas amargas para conseguir isso, mas se não fosse assim não estaríamos entre os sete, dos 27 estados brasileiros, que estão conseguindo pagar os salários dos servidores em dia e manter os investimentos. O governo tem que ser parceiro dos municípios, para atender a comunidade, para beneficiar as pessoas”, disse aos produtores o governador Reinaldo Azambuja. Veja mais fotos.

Paulo Yafusso – Subsecretaria de Comunicação (Subcom)

Fotos: Chico Ribeiro

ALMS CORTESIA
TJ MS