16 de agosto de 2018 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
 BANNER TCE - Supremacia Lei Licitação PI 2209 (25 a 27/07 e 30 e 31/07)
AO VIVO Acompanhe a transmissão do jornal GIRO ESTADUAL DE NOTÍCIAS
Transmitido simultaneamente para as emissoras do Grupo Feitosa de Comunicação
DEFESA DO CONSUMIDOR

Procon Estadual divulga pesquisa com preços de combustíveis na Capital

12 junho 2018 - 11h19

Campo Grande (MS) – Pesquisa da Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor (Procon-MS), divulgada nesta terça-feira (12.6), traz os preços da gasolina comum, gasolina aditivada, etanol e diesel comum pesquisados entre 5 e 7 de junho, em 81 postos de combustíveis da Capital.

Conforme os dados apresentados pela pesquisa a gasolina comum foi encontrada com menor preço de R$ 4,04 e o maior por R$ 4,39.  No caso do etanol o maior preço foi de R$ 3,39 e o menor R$ 3,09. O diesel comum de maior preço foi verificado a R$ 4,19 e o menor preço de R$ 3,41.

A superintendente do Procon/MS, em exercício, Patrícia Mara da Silva, analisa que é necessário promover a concorrência sadia e o respeito às normas consumeristas, já que estas objetivam o equilíbrio nas relações entre consumidores e fornecedores: “Percebe-se, claramente, que houve uma queda considerável nos preços dos combustíveis, e esses podem cair mais ainda, se houver, por parte dos postos de combustíveis, uma concorrência leal e o respeito às normas e aos consumidores”, finaliza.

O resultado da pesquisa também aponta que houve queda nos preços dos combustíveis, quando comparados com os preços adotados no período de 21 a 30 de maio, quando o País passou por um período de greve da categoria dos caminhoneiros. O Procon-MS reforça ainda que  os consumidores devem desenvolver o hábito da pesquisa de preços, em busca do preço baixo, respeito e qualidade na aquisição de produtos e serviços.

O órgão esclarece ainda que não há tabelamento de combustíveis, já que a política adotada pelo governo brasileiro, em todo o território nacional, adota a liberdade de preços, mas lembra também que o Código de Defesa do Consumidor (Lei nº 8.078/90) considera abusiva e ilegal a elevação de preços sem justa causa.

Todos os produtos pesquisados, bem como os endereços dos estabelecimentos e comparativos de preços podem ser visualizados na pesquisa ou também no site do Procon Estadual. O Procon-MS, ligado à Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho (Sedhast), disponibiliza o número 151 e o Fale Conosco do site aos consumidores para informações e denúncias.

Leomar Alves Rosa – Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho (Sedhast)

Foto: Denilson Secreta

Últimas Notícias

ver todas as notícias

Enquete

Você já tem seus candidatos para as eleições de 2018?

Votar
Resultados
VAZIO SANITÁRIO
João Bosco e Banda