11 de dezembro de 2018 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
PI AL MS - BANNER ASSEMBLEIA LEGISLATIVA - MUDANÇAS (01/12 a 12/12)
CALENDÁRIO OFICIAL

Mato Grosso do Sul terá Dia de Conscientização e Divulgação da Fibrose Cística

A fibrose cística, também conhecida como mucoviscidose, é uma doença genética de herança autossômica recessiva

12 março 2018 - 11h06Da redação
A data será lembrada anualmente, no dia 5 de setembro
A data será lembrada anualmente, no dia 5 de setembro - Ilustração

A fibrose cística, também conhecida como mucoviscidose, é uma doença genética de herança autossômica recessiva, ou seja, passa de pai para filho. O acúmulo de secreções densas nos pulmões, no trato digestivo e em outras áreas do corpo é sua principal característica. A partir da sanção da Lei 5.161, de autoria do deputado Dr. Paulo Siufi (PMDB), Mato Grosso do Sul passa a ter o Dia de Conscientização e Divulgação da Fibrose Cística.  

Anualmente, no dia 5 de setembro o Estado deverá realizar ações para conscientização do tratamento da doença, que se manifesta com sintomas respiratórios, gastrointestinais e presença excessiva de cloro no suor. A fibrose cística induz o organismo a produzir secreções espessas que obstruem pulmões e pâncreas.

De acordo com o deputado, cerca de 70 mil pessoas em todo mundo possui a doença. “Conhecida como a doença do beijo salgado, ela faz com que o corpo produza muco de 30 a 60 vezes mais espesso que o usual, o que leva ao acúmulo de bactéria e germes nas vias respiratórias. A fibrose cística ainda não tem cura e com uma expectativa de vida estimada entre os 25 e 30 anos, ela desencadeia pneumonias de repetição e outras complicações, necessitando de tratamentos antibacterianos, fisioterapias respiratórias e o apoio de uma equipe multidisciplinar para garantir a qualidade de vida da criança. É fundamental e de extrema importância dar publicidade e conhecimento à população sobre os sintomas e exames necessários. A informação leva a um diagnóstico precoce e é um fator determinante na eficácia do tratamento, podendo melhorar a qualidade de vida e a sobrevida do paciente”, destacou Siufi.

Rubeola
TJMS – Campanha do TJMS – SEMANA NACIONAL DA RECONCILIAÇÃO