22 de setembro de 2018 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
HVM - INCORPORACOES
GERAL

Defesa Civil diz que prédio que desabou foi construído de forma irregular

13 março 2018 - 20h39

Um prédio residencial de três andares desabou no início da manhã desta terça-feira, 13, em Alto de São João, bairro de Pituaçu, área pobre da orla de Salvador. Das sete pessoas que estavam no local, quatro morreram na hora. Chovia e ventava forte. Segundo o Corpo de Bombeiros, as obras de construção do imóvel duraram dois anos e foram concluídas há quatro meses.

Robert de Jesus, de 12 anos, um bebê identificado como Artur, de 1 ano, Alan Pereira de Jesus, de 31 anos, e Rosemeire Pereira de Jesus, também de 31 anos, morreram presos entre os escombros. O último corpo a ser resgatado foi o de Rosimeire, por volta das 13h30.

As três pessoas retiradas com vida foram encaminhadas para o Hospital Geral do Estado (HGE). São elas Alex Pereira de Jesus, de 29 anos, responsável pela construção do imóvel, a mulher dele, Maria Conceição Bispo de Santos, de 30 anos, e a filha do casal, Sabrina Bispo de Jesus, de 1 ano. Eles foram retirados logo após o desmoronamento, com a ajuda dos vizinhos. Não há informações de que corram risco de morte.

Segundo moradores da região, o prédio desabou após um forte estalo. Apenas a escada da construção ficou de pé.

De acordo com o diretor-geral da Defesa Civil de Salvador (Codesal), Sóstenes Macedo, o prédio foi construído de forma irregular, sem observar regras técnicas básicas de construção civil.

"Trata-se de uma construção irregular, de risco iminente. O prédio era composto por três pavimentos, térreo e dois andares, que não resistiram com a chuva", disse, acrescentando que ainda será realizado um levantamento em outras construções na região, para identificar se há novos riscos de desabamento.

Após um longo período de intenso calor, a capital baiana amanheceu sob chuva forte. De acordo com a Climatempo, foi uma chuva considerada "excepcional e muito acima do normal para esta época". Em alguns bairros choveu cerca de 100 mm em seis horas, embora a maior parte da chuva tenha caído em apenas duas horas.

Em nota a prefeitura de Salvador lamentou o ocorrido e informou que está prestando assistência às famílias atingidas pelo desabamento.

Segundo os bombeiros, o edifício desabou por volta das 6 horas da manhã. As informações iniciais eram de que havia um casal e uma criança no local.

Ao menos seis unidades do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) prestaram atendimento no local, segundo informações da Secretaria Municipal de Saúde do município.

PMCG - CORTESIA

Últimas Notícias

ver todas as notícias

Enquete

Você já tem seus candidatos para as eleições de 2018?

Votar
Resultados
CORTESIA SEGOV HEPATICE C
tj ms agosto