22 de fevereiro de 2019 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
GERAL

Correção: Quadrilha explode três agências em São Bento do Sapucaí

11 fevereiro 2019 - 14h30

O texto enviado anteriormente continha uma incorreção: O prédio do Banco do Brasil - e não da Caixa Econômica Federal, como foi publicado - ficou destruído durante o ataque de criminosos a agências bancárias de São Bento do Sapucaí. Segue o texto corrigido:

Uma quadrilha com ao menos dez integrantes usou explosivos para atacar, numa ação simultânea, as três agências bancárias de São Bento do Sapucaí, na madrugada desta segunda-feira, 11. Enquanto parte da quadrilha roubava os bancos, outra disparava contra a base da Polícia Militar para impedir a ação dos policiais. As explosões e o tiroteio aterrorizaram os 10,8 mil habitantes da estância climática, localizada na Serra da Mantiqueira.

Segundo a Polícia Civil, a quadrilha invadiu a cidade em dois ou três carros, por volta das 3h30. O prédio do Banco do Brasil ficou destruído. Os criminosos também explodiram caixas eletrônicos e cofres das agências do Santander e do Bradesco. A base da PM ficou com a fachada cheia de buracos de balas, mas ninguém ficou ferido.

A Polícia Civil suspeita que a mesma quadrilha atacou uma agência do Banco do Brasil, em Sapucaí Mirim, no sul do Estado de Minas Gerais. A cidade mineira fica a 30 km de São Bento do Sapucaí e os ataques aconteceram em sequência. Durante a fuga, os criminosos espalharam pregos retorcidos, conhecidos como 'miguelitos', para dificultar eventual perseguição. O valor roubado não foi informado. Até o início da tarde ninguém tinha sido preso.

Os ataques voltam a acontecer no interior de São Paulo depois de uma trégua dada pelas quadrilhas nas últimas semanas. No sábado, 9, criminosos fortemente armados explodiram uma agência bancária da Caixa Econômica Federal no centro de Cajuru, região norte do Estado. Os criminosos explodiram dois caixas eletrônicos. As explosões danificaram a agência, mas a quadrilha não conseguiu ter acesso ao dinheiro e fugiu sem levar nada.

U

TJMS
Camara Municipal