12 de agosto de 2020 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
Banner Senar MS - Paisagens Rurais (10/08 a 20/08)
PROTEÇÃO À MULHER

Casa da Mulher Brasileira de Campo Grande alcança 10 mil atendimentos

A unidade foi inaugurada pela presidenta Dilma Rousseff em fevereiro do ano passado.

15 janeiro 2016 - 11h51Portal Brasil
Divulgação
FAMASUL - SENAR

A Casa da Mulher Brasileira de Campo Grande (MS) atendeu 9.999 mulheres em situação de violência em apenas 11 meses de funcionamento. A unidade foi inaugurada pela presidenta Dilma Rousseff  em 3 de fevereiro do ano passado,  com investimento de R$ 18,2 milhões do governo federal. O balanço consolidado dos resultados obtidos durante o ano foi apresentado esta semana, em reunião do Conselho Gestor da Casa. 

Foram 57.411 atendimentos e encaminhamentos para esse grupo de quase 10 mil mulheres atendidas. Em 11 meses, foram 875 prisões, 2.234 concessões de medidas protetivas, 7.999 boletins de ocorrência registrados e 5.901 atendimentos psicossociais realizados. A brinquedoteca recebeu 1.587 crianças durante o atendimento de suas mães. A Defensoria Pública prestou 1.976 assistências jurídicas e o alojamento abrigou 302 pessoas (201 mulheres e 101 crianças).  

A coordenadora da Casa da Mulher Brasileira de Campo Grande, Eloísa Castro Berro, disse que o número de atendimentos representa que havia uma demanda reprimida de mulheres, que não buscavam ajuda. “No início, a maior parte das denúncias era de agressão física. Hoje, ameaça e injúria ocupam as primeiras colocações, porque elas denunciam no momento da ameaça. A mulher está mais consciente dos seus direitos”, afirma.  

A Casa é uma ação do programa Mulher, Viver sem Violência, da Secretária de Políticas para as Mulheres (SPM) do Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos (SPM), com gestão compartilhada com o governo estadual e prefeitura.  

De acordo com Eloísa Castro Berro, o atendimento humanizado e a presença de serviços integrados como Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam), Defensoria Pública, Promotoria de Justiça, atendimento psicossocial, orientação para autonomia econômica, alojamento e brinquedoteca facilitam o acolhimento de mulheres em situação de violência. “As distâncias entre um serviço e outro dificultavam o processo. Hoje, tudo o que a mulher precisa para a sua proteção, ela encontra na Casa da Mulher Brasileira.”  

Banner Whatsapp Desktop
agecom - fullbanner
Cornavirus