22 de setembro de 2019 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
Andorinha3
AEDES AEGYPTI

Carros abandonados em ruas da Capital estão se tornando criatório de mosquito, alerta Francisco Veterinário

12 fevereiro 2019 - 14h14Da redação
Parlamentar ressalta que esses carros se tornam problema para saúde pública
Parlamentar ressalta que esses carros se tornam problema para saúde pública - Divulgação

Ao andar pelos bairros de Campo Grande é fácil ver carros abandonados (sucata) estacionados nas ruas normalmente sendo criatórios do mosquito Aedes Aegypti e até mesmo usados como local para que usuários de drogas usem entorpecentes.  Esse é o caso de um veículo abandonado na Rua Tijuca, no bairro Vila Sobrinho, região urbana do Imbirussu. “Recebemos quase que todos os dias denúncias de carros abandonados na rua que muitas vezes está infestado de ratos e com criatórios do mosquito Aedes Aegypti. Esses carros além de ser um problema para saúde pública vira um local de uso de drogas causando medo as pessoas que moram onde esse carro está abandonado”, avalia o vereador veterinário Francisco(PSB).

Segundo a Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano), o órgão realiza fiscalização em ferros-velhos, porém não recolhe veículos abandonados nas vias. E também pode notificar veículos que estiverem obstruindo o passeio público, porém não realiza o recolhimento. As denúncias desse tipo podem ser feitas pelo app Fala Campo Grande, pelo telefone 154 ou presencial na Avenida Afonso Pena 3297, centro.

O diretor-presidente da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito)explicou que os carros estacionados regularmente na via, não podem ser removidos. Somente se estiverem circulando. O Código de Transito não permite a remoção se estiver estacionado regularmente, mesmo se for carro que está há muito tempo no mesmo local.

TJMS