14 de dezembro de 2018 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
BANNER TCE - E-Extrator PI 3492/2018 (13/12 até 17/12)
AO VIVO Acompanhe a transmissão do jornal GIRO ESTADUAL DE NOTÍCIAS
Transmitido simultaneamente para as emissoras do Grupo Feitosa de Comunicação
CIRURGIA DA MAMA

Aprovado projeto de lei que informa gratuidade na reconstrução da mama

Os deputados estaduais apreciaram um projeto de lei e dois vetos parciais do Poder Executivo

13 março 2018 - 13h14Da redação
O veto ao PL 154/2017 também foi mantido
O veto ao PL 154/2017 também foi mantido - Ilustração

Os deputados estaduais apreciaram um projeto de lei e dois vetos parciais do Poder Executivo na sessão ordinária desta terça-feira (13/3). O Projeto de Lei (PL) 11/2016, de autoria do deputado José Carlos Barbosa (PSB), que prevê a obrigação de hospitais, clínicas, consultórios e similares em informar os pacientes em tratamento de câncer que a reconstrução da mama retirada é feita de forma gratuita nos hospitais públicos do Estado, foi aprovado por unanimidade em 1ª discussão e vai à 2ª.

Já os vetos parciais analisados em discussão única foram mantidos pelos parlamentares. O primeiro apreciado foi o veto ao PL 29/2017, de autoria do deputado Dr. Paulo Siufi (PMDB), que institui o Programa Estadual de Coleta e Reciclagem de Óleos de Origem Vegetal. Uma das razões alegadas para o veto parcial do Governo do Estado é que não há previsão orçamentária para sua realização.

O autor da proposta lamentou o veto parcial. “É apenas um programa para o reaproveitamento de óleo usado de lugares públicos em Mato Grosso do Sul, como a Feira Central, lanchonetes e diversos outros, com o objetivo de gerar emprego e renda para os sul-mato-grossenses. O projeto não é impositivo, nem cria despesa e é de grande valia”, destacou Dr. Paulo Siufi.

O deputado estadual João Grandão (PT), líder do partido na Casa de Leis, fez uma análise sobre o assunto. “Observei o conteúdo do projeto e gostaria de acrescentar que essa coleta pode inclusive ser aproveitada na produção de biodiesel”, registrou.

O veto ao PL 154/2017 também foi mantido. A autoria da proposição é do deputado estadual Pedro Kemp (PT). O projeto altera a ementa e o art. 2º, além de acrescentar o inciso VI e parágrafo único ao art. 3º da Lei Estadual 3.272/2006, adequando a redação da lei vigente e inclui no rol de prestação de serviços continuados os serviços bancários e o plano de saúde. Segundo o Poder Executivo, a proposta padece parcialmente de vício de inconstitucionalidade formal.

Rubeola
TJMS – Campanha do TJMS – SEMANA NACIONAL DA RECONCILIAÇÃO