20 de outubro de 2018 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
CAMPANHA SEGOV - HPV -
FESTIVAL CINE NOVO OESTE

Festival Cine Novo Oeste se encerra com sucesso de público e de exibições do cinema local

Foram 4 dias de filmes, debates e oficinas; evento preenche lacuna cultural do Estado

16 abril 2018 - 17h00UNA Assessoria
Oficinas, bate-papos e troca de informação foram tópicos importantes do evento
Oficinas, bate-papos e troca de informação foram tópicos importantes do evento - Foto: UNA Assessoria

O Festival Cine Novo Oeste se encerrou na noite deste domingo (16), com muitos frutos e alegrias para o cinema sul-mato-grossense. Foram quatro dias de intensa programação.

Oficinas, bate-papos e troca de informação foram tópicos importantes do evento. Realizado com apoio do Fmic (Fundo Municipal de Investimentos Culturais), mostrou que é possível resistir na cultura cinematográfica de Mato Grosso do Sul. Foram 22 produções cinematográficas exibidas de graça para a população. 


Com a presença assídua do ator Antônio Pitanga, que participou de diversas programações no decorrer do evento, e que exibiu seu filme “Pitanga” junto ao diretor Beto Brant, foi emocionante, conforme enalteceu o próprio artista. “Nenhum lugar é mais adequado que as praças para se debater a cultura e assuntos de interesse da população. Estou feliz por ter exibido meu filme aqui e o Cine Novo Oeste é um evento para o povo, está na hora de tirar o cinema dos shoppings e levar ao acesso de todos”, pontuou Pitanga. 

As exibições do domingo foram reservadas às mulheres, com curtas e um longa produzidos, filmados e roteirizados por elas. Somente diretoras mulheres rodaram seus filmes neste dia.

Destaque para produções 100% independentes de Nathalia Tereza, com a ficção “De tanto olhar o céu gastei meus olhos”, “Eu te amei esta noite”, de Ana Ostapenko, e também os documentários “À Procura de Marçal” de Carol Caco e Natalia Moraes, e “Questão de Honra”, de Carol Araújo. O longa-metragem de terror “Astaroth” fechou com chave de ouro o evento e encerrou sua edição. 


Tudo começou na quinta-feira (12) com exibição de “Alma do Brasil” com sonorização ao vivo da Orquestra Municipal, algo que surpreendeu muito o público com uma grandeza visual e sonora. Sexta a programação seguiu com oficina no Sesc com Roberto Sadovski sobre crítica de cinema e exibições de filmes. Sábado o público se emocionou com o longa “Pitanga” e com roda de bate-papo com o diretor e o protagonista. 


Pitanga também participou de uma roda de conversa na tarde do sábado, com o grupo TEZ, sobre representatividade negra na sociedade e no cinema. O artista foi lembrado também em coletiva de imprensa na Morada dos Baís, por suas produções impactantes no cinema e televisão. 


“A realização desse festival preenche uma lacuna que ficou em nosso cinema, que é a do acesso às produções locais de forma gratuita e acessível. Ele traz oportunidades para acesso à cultura que estão escassas na Capital.


Foi a realização também de um sonho para quem idealizou e para quem buscava um espaço de exibição com estrutura, com visibilidade. Estamos muito felizes com o sucesso de público e com as parcerias firmadas”, acredita o idealizador do evento Airton Raes Fernandes. 


O Festival Cine Novo Oeste teve apoio do Sesc de Mato Grosso do Sul, Fundação de Cultura do MS, Prefeitura Municipal, Sectur (Secretaria de Turismo e Cultura de Campo Grande), Secc (Secretaria de Cultura e Cidadania do Estado), Vaca Azul Audiovisual, Urgente Produções e UNA Comunicação. 

Últimas Notícias

ver todas as notícias

Enquete

Você é a favor de punição para quem compartilha fake news?

Votar
Resultados
FullBanner - Campanha do TJMS – SEMANA NACIONAL DA RECONCILIAÇÃO