23 de setembro de 2018 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
HVM - INCORPORACOES
TURISMO

Cavalgada do Agroturismo em Naviraí

Sucesso, Cavalgada de Naviraí e se candidata a maior evento do agroturismo de MS

14 março 2018 - 10h26SEMAGRO
No cardápio: shows, baile, roda de viola, concursos de berrante, da queima de alho, muita bebida, comidas com jeito e sabor do campo e gente animada e disposta a segurar a alegria durante o dia todo do sábado (10) e até a tarde do domingo (11)
No cardápio: shows, baile, roda de viola, concursos de berrante, da queima de alho, muita bebida, comidas com jeito e sabor do campo e gente animada e disposta a segurar a alegria durante o dia todo do sábado (10) e até a tarde do domingo (11) - Foto: Ezequiel Studio Dias

Foram dois dias de muita festa que atraiu gente de vários municípios da região Sul do Estado. Montados a cavalo, de carro ou em bicicletas, o destino era o mesmo: 1ª Cavalgada do Agroturismo do Assentamento Juncal, em Naviraí. No cardápio: shows, baile, roda de viola, concursos de berrante, da queima de alho, muita bebida, comidas com jeito e sabor do campo e gente animada e disposta a segurar a alegria durante o dia todo do sábado (10) e até a tarde do domingo (11).
 

A 1ª Cavalgada do Agroturismo Juncal foi promovida pela Associação Naviraiense Terra e Paz, que agrega os moradores do Assentamento Juncal, e recebeu recursos de R$ 71.075,00 do Fundo de Defesa e Reparação de Interesses Difusos e Lesados, administrado pela Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar). Animados com o sucesso da festa, os organizadores já vislumbram um futuro grandioso. Pensam em fazer da Cavalgada o maior evento de agroturismo do Sul do Estado.

O Assentamento Juncal foi criado em 2002, no município de Naviraí, com área de 2.453 hectares. São 113 lotes, além das áreas de reserva legal e de preservação permanente. As famílias produzem uma variedade de gêneros alimentícios e possuem um criadouro com abatedor de frango caipira, além do plantel de gado leiteiro.

A festa

O público total é difícil de avaliar, diz a pedagoga Karine Teixeira, uma das organizadoras. Entre 2.500 a 3 mil pessoas. Isso porque foram muitas atividades espalhadas pelo Assentamento. As comitivas começaram a chegar na sexta-feira e montar acampamento. Karine calcula pelo menos 300 cavaleiros e amazonas, divididos em vários grupos, que na manhã do sábado partiram do Pachamama – estrutura de ecoturismo – na tão aguardada cavalgada que percorreu várias estradas do assentamento até a sede, o ponto central da festa.

Por volta do meio-dia chegaram os ciclistas vindo de Naviraí e a festa ganhou intensidade. Pelo menos 3 mil pessoas participaram do almoço e o baile à noite. As opções de diversão contaram ainda com barracas com comidas típicas, produtos do campo, artesanato e o roteiro de agroturismo que levava os visitantes a seis sítios onde puderam adquirir desde frango caipira, leitão, mandioca, mel, frutas e verduras ou se aventurar em esportes de aventura.

Jaime cumprimenta o presidente da Associação do Juncal, professor Edson dos Santos da Silva, na assinatura do convênio

O sucesso do evento foi comemorado pelo secretário de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck, que preside o Conselho Gestor do Funles. Ele destacou a competência e capacidade técnica dos organizadores, que cumpriram além do que foi acordado no projeto e com isso amplificaram os benefícios dos recursos recebidos.

“No primeiro Edital do Funles, após 11 anos de sua criação, o Conselho aprovou o apoio a nove projetos com repasse de R$ 1,5 milhão, sendo um deles a Cavalgada de Naviraí que tem uma significativa importância do ponto de vista cultural, do fomento à agricultura familiar, da geração de renda e fixação do homem no campo mediante a valorização de seus costumes. A correta execução desses projetos vai propiciar que o Ministério Público e o Poder Judiciário reabasteçam o fundo e, com isso, mais iniciativas populares possam ser financiadas”, disse Verruck.

Concursos

Cavaleiro mais idoso, sr. Clóvis com 89 anos

No domingo a programação continuou com os concursos envolvendo as comitivas. Levaram troféus: A Comitiva mais original – Fazenda Santa Marta; Comitiva mais organizada – Cristal; Cavaleiro mais idoso – Sr. Clóvis da Comitiva Cristal, com 89 anos; Cavaleiro Mirim – Marco Antonio, do Assentamento Juncal, com apenas 2 anos de idade; Carroça mais original – Soares, do município de Jateí; Cavaleiro mais derramado – Baianinho; Burro mais elegante – Roberto, da Fazenda Maria Cristina; Boi – Anderson, da Fazenda Cristal; Cowgirl melhor trajada (Rainha da Cavalgada) – Eloísa, da Comitiva Espora de Ouro.

A queima do alho foi o concurso mais saboroso. Premiou a comitiva que preparou a melhor refeição no estilo que era feita pelos peões de comitiva: em fogo de chão, sem muitos utensílios de cozinha, mas esbanjando no sabor. Arroz de carreteiro e feijão tropeiro foram pratos recorrentes, mas teve também outros, como churrasco. Os jurados percorreram todos os acampamentos provando os pratos e escolheram a boia do peão Alcenir Alves dos Santos (Cuiabano), do distrito de Casa Verde, município de Nova Andradina.

Participaram desta primeira Cavalgada as seguintes comitivas: Comitiva Espora de Ouro, do município de Mundo Novo; Comitiva Fazenda Santa Marta, Comitiva Fazenda Cristal, Comitiva Maria Cristina, Comitiva Fazenda Santa Paula, Comitiva dos Pioneiros, Comitiva Beija Flor, Comitiva São Severino, Comitiva Cavalo Enxuto, Comitiva do Expedito, de Jateí, e muitos peões avulsos, inclusive do Assentamento Juncal. Para o ano que vem, os organizadores pretendem convidar comitivas do Pantanal e turbinar a festa com o intercâmbio de culturas e estilos.

O Funles

O Projeto Projeto Cavalgada Agrorrural do Conesul é um dos nove projetos financiados pelo Funles nesse primeiro edital desde a criação do fundo, há 11 anos. O Fundo patrocina projetos em cinco eixos de investimentos: Meio Ambiente; Consumidor, a Ordem Econômica e a Livre Concorrência; Aos Direitos de Grupos Raciais, Étnicos ou Religiosos; Bens e Direitos de Valor Artístico, Histórico, Estético, Turístico e Paisagístico; Patrimônio Público e Social e Outros Interesses Difusos.

As receitas que compõem o Fundo são provenientes de indenizações decorrentes de condenações judiciais por danos causados a bens e direitos, multas judiciárias, indenizações e compensações previstas em acordos coletivos, inclusive termo de ajustamento de conduta, bem como multas por descumprimento desses acordos. O Fundo também pode receber contribuições e doações de pessoas físicas ou jurídicas, nacionais ou estrangeiras.

 

 

 

Últimas Notícias

ver todas as notícias

Enquete

Você já tem seus candidatos para as eleições de 2018?

Votar
Resultados
PMCG - CORTESIA
tj ms agosto
SOLURB