04 de agosto de 2020 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
agecom
EM QUEDA

Vendas do comércio têm o maior recuo desde março de 2003

De janeiro a novembro, o comércio já acumula perdas de 4%.

13 janeiro 2016 - 11h31Da redação com informações de Claúdio Humberto.
Na comparação mensal, varejo registrou 2ª alta seguida em novembro.
Na comparação mensal, varejo registrou 2ª alta seguida em novembro. - EBC
HVM

As vendas do varejo registraram queda de 7,8% em novembro de 2015 em relação ao mesmo mês do ano passado (taxa anualizada). Essa é a oitava queda consecutiva e o maior recuo nesta mesma base de comparação desde os -11,3% de março de 2003.

Os dados foram divulgados nesta quarta-feira, 13, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e indicam que, nesta base de comparação, a receita nominal permanece positiva em 1,3%.

Já em relação a outubro, o comércio brasileiro mostrou sua segunda alta seguida, de 1,5%, depois de registrar resultados seguidamente negativos durante o ano de 2015, que acumula baixa de 4% no volume de vendas.

De acordo com os dados do IBGE, na comparação anual, apenas o comércio de Roraima mostrou aumento nas vendas (4%). Os outros estados venderam menos. No Amapá, a retração foi de 27,4%; em São Paulo, de 6%; no Rio Grande do Sul, de 10,9%; no Paraná, de 10%; e, em Santa Catarina, de 11,3%.

Entre todos os segmentos do comércio, os hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo, cujas vendas caíram 5,7%, exerceram a principal pressão negativa sobre o índice geral na comparação anual.

Já na comparação mensal, de outubro para novembro, as vendas no varejo aumentaram em 19 das 27 Unidades da Federação. Os melhores resultados foram registrados no Pará (3,0%) e em Roraima (2,9%). Amapá (-2,9%) e Paraná (-1,6%) aparecem na outra ponta, com as maiores quedas.

Banner Whatsapp Desktop
GAL COSTA

Últimas Notícias

ver todas as notícias

Enquete

Você vai fazer compras de Dia dos Pais neste ano?

Votar
Resultados
FORT ATACADISTA - Auxilio Emergencial  (interno)
agecom - fullbanner
Cornavirus