20 de junho de 2018 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
banner TCE. Sustentabilidade dias 21, 22, 25, 26 e 27/06 conforme pi 1808/2018
ECONOMIA

Temer diz que ligará para Trump para discutir sobretaxação de aço e alumínio

"A conjugação dos países dará mais força à representação", declarou Temer ao participar da sessão plenária do Fórum

14 março 2018 - 12h10
Ao lembrar que o Brasil está se movimento em direção à abertura comercial, com a condução final de um acordo do Mercosul com a União Europeia e o Canadá, Temer frisou que seu governo é contra 'todo e qualquer protecionismo
Ao lembrar que o Brasil está se movimento em direção à abertura comercial, com a "condução final" de um acordo do Mercosul com a União Europeia e o Canadá, Temer frisou que seu governo é contra 'todo e qualquer protecionismo" - Foto: Jornal do Brasil

O presidente da República, Michel Temer, disse nesta quarta-feira, 14, que vai ligar para o presidente norte-americano, Donald Trump, para discutir a sobretaxação das importações de aço e alumínio nos Estados Unidos, medida que atinge em cheio a indústria siderúrgica brasileira. Temer afirmou que a taxação do aço nos Estados Unidos é motivo de grande preocupação, mas que precisa ser tratada com "muito cuidado", dado que os EUA são o segundo maior parceiro comercial do Brasil.

Ao participar da edição latino-americana do Fórum Econômico Mundial em São Paulo, Temer assinalou que vai investir no diálogo, mas confirmou que, se não houver uma solução amigável, vai entrar com outros países prejudicados pela barreira com uma representação contra os Estados Unidos na Organização Mundial do Comércio (OMC).

"A conjugação dos países dará mais força à representação", declarou Temer ao participar da sessão plenária do Fórum.

Ao lembrar que o Brasil está se movimento em direção à abertura comercial, com a "condução final" de um acordo do Mercosul com a União Europeia e o Canadá, Temer frisou que seu governo é contra 'todo e qualquer protecionismo". "Queremos abertura plena dos mercados estrangeiros em relação ao Brasil."

TJ MS
ALMS CORTESIA