07 de julho de 2020 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
Saraiva de Rezende - SR Construtora
AO VIVO Acompanhe a transmissão do jornal GIRO ESTADUAL DE NOTÍCIAS
Transmitido simultaneamente para as emissoras do Grupo Feitosa de Comunicação
ECONOMIA

PMDB fica mais perto de fechar questão sobre reforma da Previdência

16 maio 2017 - 09h52
comper

O PMDB já tem maioria para fechar questão a favor da reforma da Previdência na Câmara e vai tomar essa posição nos próximos dias. Com a estratégia, o governo pretende atrair aliados de outros partidos, que resistem a apoiar as mudanças na aposentadoria. Até agora, 50 dos 64 deputados da bancada peemedebista já subscreveram um abaixo-assinado a favor desse enquadramento, que prevê punição para os desobedientes.

O líder do PMDB na Câmara, Baleia Rossi (SP), disse que vai entregar até quinta-feira o abaixo-assinado ao presidente do partido, senador Romero Jucá (RR), também líder do governo no Senado. "É um pedido para o fechamento de questão", afirmou Baleia.

O termo é utilizado, no jargão político, quando um partido adota posição única sobre como cada parlamentar deve votar. Quem desrespeita a ordem corre o risco de punição.

A tendência é que a reunião da Executiva Nacional do PMDB feche questão a favor da reforma da Previdência na próxima semana. Articuladores políticos do governo tentam agora convencer os aliados indecisos ou mesmo contrários para que votem pelo menos a favor do texto principal da reforma, negociando destaques à proposta em outra etapa.

O Planalto espera que, com o PMDB puxando a fila, outros partidos fechem questão na Previdência. O problema é que muitas bancadas estão rachadas. Na prática, há deputados que temem não se reeleger, em 2018, se aprovarem a mexida nas aposentadorias.

"Nós não temos expectativa de discutir fechamento de questão antes do PMDB, que é o partido do governo e tem de dar o exemplo, nem antes da votação da reforma trabalhista no Senado", disse o líder do DEM, Efraim Filho (PB).

As bancadas do PSDB, do PP e do PRB também estão divididas. Para piorar, o PSB fechou questão contra as reformas trabalhista e da Previdência. Quem desobedeceu a ordem na votação da lei trabalhista já está perdendo cargos na máquina do partido nos Estados.

Indecisão

O Placar da Previdência, elaborado pelo Grupo Estado, aponta que PMDB e PSDB lideram a lista dos deputados que preferiram não abrir o voto sobre a reforma, sendo responsáveis por um terço dos 202 deputados que não anunciaram posicionamento sobre a PEC.

Para ser aprovada, a reforma da Previdência necessita de 308 votos na Câmara e 49 no Senado, em duas votações, já que se trata de uma proposta de emenda à Constituição. "Eu defendo que o Congresso só entre em recesso depois de aprovar essa reforma", afirmou Jucá.

As férias dos parlamentares começam em meados de julho. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

GAL COSTA

Últimas Notícias

ver todas as notícias

Enquete

Você é a favor do veto do presidente Bolsonaro em relação ao uso obrigatório de máscaras respiratórias em locais como igrejas, comércio, escolas e presídios?

Votar
Resultados
FORT ATACADISTA - 5º verde (interno)