21 de fevereiro de 2019 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
DESCONTO

Para beneficiários de programas assistenciais do Governo, conta de luz tem tarifa reduzida

Muitos dos inscritos em projetos assistenciais desconhecem que podem pagar valores mais baixos pela energia elétrica

13 fevereiro 2019 - 07h30
Os descontos na fatura podem chegar a 65%, variando conforme o consumo. Quanto menor o consumo de energia elétrica, maior a dedução
Os descontos na fatura podem chegar a 65%, variando conforme o consumo. Quanto menor o consumo de energia elétrica, maior a dedução - Foto: Divulgação

Beneficiários dos programas sociais do Governo do Estado, como Vale Renda e Rede Solidária, também estão aptos a participar da Tarifa Social Energisa, um programa que beneficia um grupo de clientes, reduzindo o valor da conta de luz. Muitos dos inscritos em projetos assistenciais desconhecem que podem pagar valores mais baixos pela energia elétrica.

Os descontos na fatura podem chegar a 65%, variando conforme o consumo. Quanto menor o consumo de energia elétrica, maior a dedução. Conforme a Energisa, atualmente em Mato Groso do Sul estão cadastrados 121.497 clientes na Tarifa Social.

Os critérios para garantir a tarifa social da Energisa estão em concordância com outros programas. Para o Vale Renda, por exemplo, a família deve ter renda per capita inferior ou igual a meio salário mínimo, uma das exigências também do Tarifa Social da Energisa. O mesmo acontece com famílias que participam do Rede Solidária.

Outros beneficiários da Tarifa Social da Energisa são famílias inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal com renda mensal, por pessoa, menor ou igual a meio salário mínimo, ou com até três salários mínimos – nesse caso a renda vale para portadores de doença ou deficiência, que para o tratamento necessitam do uso continuado de aparelhos e, assim, o consumo constante de energia elétrica.

Também são contempladas pelo programa as famílias do Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social (BPC) e famílias indígenas e quilombolas.

TJMS
Camara Municipal