16 de janeiro de 2019 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
campanha da SEGOV – IPVA 2019
ECONOMIA

No 1º turno, futura ministra da Agricultura driblou partido e apoiou Bolsonaro

Na Câmara, a atuação da parlamentar ficou marcada pela defesa do PL que flexibiliza regras para fiscalização e aplicação de agrotóxicos no País, o que rendeu a ela o apelido de "musa do veneno" entre ambientalistas

9 novembro 2018 - 08h20
Nas eleições deste ano, Tereza liderou o apoio da frente rural a Jair Bolsonaro, ainda no primeiro turno, apesar do apoio oficial de seu partido, o DEM, ao tucano Geraldo Alckmin, no acordo feito com o Centrão
Nas eleições deste ano, Tereza liderou o apoio da frente rural a Jair Bolsonaro, ainda no primeiro turno, apesar do apoio oficial de seu partido, o DEM, ao tucano Geraldo Alckmin, no acordo feito com o Centrão - Foto : Reprodução EBC

A futura ministra da Agricultura é presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA). Engenheira agrônoma e produtora rural, Tereza Cristina foi eleita deputada federal por Mato Grosso do Sul em 2015, pelo PSB. Migrou para o DEM em outubro de 2017, pouco antes de assumir a liderança da bancada.

Na Câmara, a atuação da parlamentar ficou marcada pela defesa do Projeto de Lei 6.299, que flexibiliza regras para fiscalização e aplicação de agrotóxicos no País, o que rendeu a ela o apelido de "musa do veneno" entre ambientalistas.

Nas eleições deste ano, Tereza liderou o apoio da frente rural a Jair Bolsonaro, ainda no primeiro turno, apesar do apoio oficial de seu partido, o DEM, ao tucano Geraldo Alckmin, no acordo feito com o Centrão. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.