23 de outubro de 2018 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
FULLBANNER-DOE-ORGAOS 1260X120  campanha “DOAÇÃO DE ÓRGÃOS
ECONOMIA

Bolsas de NY sobem, monitorando relações comerciais entre EUA e China

16 maio 2018 - 16h27

Os mercados acionários americanos encerraram o pregão desta quarta-feira, 16, em alta, com os investidores monitorando o noticiário sobre as relações comerciais entre Estados Unidos e China. No entanto, os agentes mantiveram a preocupação com condições financeiras mais rígidas em solo americano, que resultaram em ordens de venda na terça-feira.

O índice Dow Jones fechou em alta de 0,25%, aos 24.768,93 pontos; o S&P 500 subiu 0,41%, aos 2.722,46 pontos; e o Nasdaq ganhou 0,63%, aos 7.398,30 pontos.

Nos últimos dias, os investidores têm se concentrado em preocupações com a inflação e com um cenário de elevação das taxas de juros, o que deixaria os custos dos empréstimos mais altos. No entanto, alguns analistas esperam que os resultados das empresas e os dados econômicos fortes nos EUA impulsionem as ações para frente. Os lucros das empresas estão crescendo no ritmo mais rápido em anos, e alguns esperam uma onda de recompra de ações para alimentar os principais índices acionários americanos.

Embora o rendimento da T-note de 10 anos tenha atingido seu nível mais alto desde 2011 nas duas última sessões, alguns analistas não acreditam que essa marca seja alta o suficiente para prejudicar as ações no longo prazo. "Não acreditamos que esses níveis específicos ditem o fim da expansão econômica. São apenas os mercados que precisam se sentir confortáveis e se ajustar a um regime de juros mais elevados", disse o diretor de investimentos da Clarfeld Financial Advisors, Michael Hans.

Também nesta quarta-feira, os agentes monitoraram as relações comerciais entre Washington e Pequim. Relatos de que o diretor do Conselho de Comércio da Casa Branca, Peter Navarro, não estará nas conversas entre autoridades americanas e chinesas em Washington nesta semana apoiaram os índices. Além disso, de acordo com rede de TV americana CNBC, o vice-primeiro-ministro chinês, Liu He, se disse otimista de que um acordo comercial pode ser atingido entre os dois países. (Com informações da Dow Jones Newswires)

Últimas Notícias

ver todas as notícias

Enquete

Você é a favor de punição para quem compartilha fake news?

Votar
Resultados
FullBanner - Campanha do TJMS – SEMANA NACIONAL DA RECONCILIAÇÃO