25 de setembro de 2018 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
HVM - INCORPORACOES
ECONOMIA

Bolsas da Europa fecham mistas mais uma vez, sem fator para tirar foco do Fed

13 junho 2018 - 12h55

As principais bolsas europeias fecharam novamente sem direção única nesta quarta-feira, 13, a poucas horas da decisão de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos), que atrai a atenção de investidores em todo o mundo. É esse justamente o motivador das oscilações que dividiram os mercados vistos como de maior relevância entre os campos positivo e negativo e até, como na Bolsa de Londres, uma estabilidade selada no último minuto de pregão.

O índice pan-europeu Stoxx 600 teve avanço de 0,19%, para os 388,25 pontos.

Na agenda de indicadores, a Eurostat tornou público que a produção industrial da zona do euro diminuiu 0,9% de março para abril, resultado pior que o previsto por analistas consultados pelo Wall Street Journal, de queda de 0,7%. Na comparação anual, a indústria do bloco aumentou a produção em 1,7% em abril, mas o resultado ficou bem aquém da projeção do mercado, de acréscimo de 3,2%.

O índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) do Reino Unido subiu 2,4% em maio ante igual mês do ano passado, segundo o Escritório de Estatísticas Nacionais (ONS). A previsão era de alta maior, de 2,5%. A inflação britânica anual permanece bem acima da meta de 2% do Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês).

Na Bolsa de Londres, o FTSE 100 ficou estável, aos 7.703,71 pontos. Com a alta dos preços do cobre, as ações da Glencore escalaram 3,75%, mas, na ponta oposta, as da BP cederam 0,90% e as da Vodafone perderam 1,54%. É digno de registro que, pelo segundo dia seguido, o Parlamento do Reino Unido foi palco de debates acalorados em torno do Brexit, deixando claro que a vitória apertada da primeira-ministra Theresa May, que conteve por ora a ingerência do Legislativo na decisão final sobre as condições da saída britânica da União Europeia, é frágil e apenas parcial.

Em Paris, o CAC 40 esteve próximo à estabilidade, mas terminou cedendo 0,01%, aos 5.452,73 pontos. A despeito da quase ausência de variação, as ações da Air France-KLM dispararam 4,22%.

O DAX 30, da Bolsa de Frankfurt, encerrou com ganho de 0,38%, aos 12.890,58 pontos. Os papéis da Lufthansa (+3,42%) lideraram as altas desse índice, proeminência atribuída por um operador a números "fortes" de tráfego de passageiros da Fraport, operadora do aeroporto de Frankfurt. O pódio do terreno positivo na praça germânica é completado pelas ações da Bayer (+2,63%) e da Siemens (+2,02%).

Em Milão, o FTSE MIB estabilizou em ascensão de 0,44%, aos 22.216,18 pontos. Como é praxe, papéis de bancos foram os principais catalisadores da variação do composto italiano: Banca Carige ganhou 1,25%, UniCredit subiu 1,42% e Intesa Sanpaolo teve alta de 0,52%.

Na Bolsa de Madri, o Ibex 35 caiu 0,15%, para os 9.899,10 pontos, enquanto o PSI 20, da Bolsa de Lisboa, avançou 0,36%, para os 5.683,46 pontos. (Com informações da Dow Jones Newswires)

Últimas Notícias

ver todas as notícias

Enquete

Você já tem seus candidatos para as eleições de 2018?

Votar
Resultados
CORTESIA SEGOV HEPATICE C
tj ms agosto