17 de dezembro de 2018 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
Campanha IPTU 2019 - Reposição,
ECONOMIA

"A injeção do 13º salário dos servidores do Estado, da Prefeitura e iniciativa privada trará um consumidor com dinheiro e disposto a comprar", diz o presidente da ACICG, João Carlos Polidoro

O presidente da ACICG, João Carlos Polidoro da Silva, projeto que somente o centro de Campo Grande tem a expectativa é de que mais de 300 mil pessoas

8 dezembro 2018 - 11h03Da Redação
O empresário Joao Carlos Polidoro da Silva está otimista para as vendas de Natal deste ano na Capital
O empresário Joao Carlos Polidoro da Silva está otimista para as vendas de Natal deste ano na Capital - Pri Mota

À frente da Associação Comercial e Industrial de Campo Grande (ACICG), entidade que tem como princípio representar a classe empresarial e fomentar o desenvolvimento do setor no município, o empresário Joao Carlos Polidoro da Silva está otimista para as vendas de Natal deste ano na Capital, Em entrevista exclusiva ao jornal A Crítica, ele espera que as lojas superem as vendas do ano passado graças à injeção do 13º salário dos servidores do Estado, da Prefeitura de Campo Grande e iniciativa privada, pois trará um consumidor com dinheiro e disposto a comprar.

João Carlos Polidoro ressalta que as empresas valorizam o poder de compra desse público, tanto que a ACICG criou o Clube do Servidor Municipal e o Clube do Servidor Estadual, que oferecem benefícios e descontos em diversos estabelecimentos comerciais da Capital. Outro ponto abordado por ele é a segurança reforçada por parte da Polícia Militar neste fim de ano, pois, só no centro a expectativa é de que mais de 300 mil pessoas passem pelo local. O empresário também analisa sua gestão à frente da ACICG e a esperança depositava pela maioria dos brasileiros na eleição do presidente Jair Bolsonaro.

A Crítica – Qual o balanço que o senhor faz da sua gestão à frente da ACICG neste ano de 2018 e quais as projeções para 2019?

João Carlos Polidoro - Este ano foi marcado por desafios e muito trabalho. Entre as diversas atuações da Casa do Empresário, participamos de discussões de projetos de lei e decisões do poder público que impactam no cotidiano das empresas e do cidadão, como a Taxa do Lixo, o Plano Diretor de Campo Grande, o projeto que impõe o pagamento de taxas de protestos a clientes, entre outros. Além disso, fizemos reuniões de diretoria com os principais candidatos ao Governo do Estado, Senado, Câmara dos Deputados e Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul. Também atuamos no Projeto Reviva Campo Grande, auxiliando no diálogo com a Prefeitura da Capital para que as obras impactassem o mínimo possível o comércio, além disso, pensamos ações voltadas para ajudar esses empresários. A internacionalização de nossos associados, por meio do Progiex (Programa de Promoção da Internacionalização e do Comércio Exterior da Associação Comercial e Industrial de Campo Grande), atingiu a primeira fase com 51 empresas, que vão buscar, no mercado exterior, oportunidades de negócios para se desenvolver com mais sustentabilidade, dependendo menos do mercado interno para superar as crises. Este ano tivemos conquistas muito importantes para a entidade. Em março, mesmo mês em que completamos 92 anos, alcançamos a marca de sete mil empresas associadas, confirmando a nossa representatividade em todas as regiões de Campo Grande e a marca de uma das maiores associações comerciais do Brasil. Para 2019, continuaremos nosso trabalho fiel à missão de representar, defender e oferecer serviços que fomentem o desenvolvimento do setor empresarial e teremos novidades. Queremos tornar a ACICG mais digital, com novos processos, transferência de serviços para online, novo ambiente de trabalho e de atendimento aos associados. Atuamos em três dimensões: Cooperação, Representatividade e Competitividade. Estamos focados no desenvolvimento de produtos e serviços conectados com a realidade de mercado. Queremos ser um hub de oportunidades, buscar novos espaços para os empresários da Capital.

A Crítica – Quais são as expectativas para as vendas de fim de ano no comércio de Campo Grande?

João Carlos Polidoro - Estamos otimistas, queremos superar as vendas do ano passado. A injeção do 13º salário dos servidores do Estado, da Prefeitura de Campo Grande e iniciativa privada trará um consumidor com dinheiro e disposto a comprar. Por isso, temos de aproveitar esse momento para recuperar os resultados que não obtivemos nos meses anteriores.

A Crítica – Na avaliação do senhor, as vendas deste ano serão melhores que as registradas em 2017?

João Carlos Polidoro - Temos a esperança que sim, apesar de termos registrado indicadores mais baixos que ano passado em diversos meses. O que nós não tínhamos era a novidade do governo eleito, que dá um grau de confiança nos mercados financeiros. As pessoas estão mais dispostas a gastar porque acreditam que ano que vem vai ser melhor. Vamos aguardar o encerramento do ano para obter um balanço, mas a mudança de ambiente político influência nas vendas e nossa expectativa é positiva nesse aumento de consumo.

A Crítica – Para o senhor, o pagamento do 13º salário pela Prefeitura e Governo do Estado dá um ânimo a mais para o comércio da Capital?

João Carlos Polidoro - Sim! Esse recurso é muito aguardado pelos comerciantes. E para que os consumidores conseguissem se planejar, fazer as compras com mais qualidade, sem tanto tumulto, nós intercedemos junto ao poder público para que houvesse a antecipação do 13º salário. O governo estadual já confirmou que o pagamento será adiantado para o dia 18 de dezembro e o prefeito já nos sinalizou que também pagará até o dia 15 de dezembro. Vale ressaltar que as empresas valorizam o poder de compra desse público, tanto que a ACICG criou o Clube do Servidor Municipal e o Clube do Servidor Estadual, que oferecem benefícios e descontos em diversos estabelecimentos comerciais da Capital. Comprando aqui, o dinheiro continua circulando na cidade, fazendo girar a economia local e isso é benéfico não só para os empresários, mas para toda a população.

A Crítica – O senhor acredita que o reforço do policiamento agora no fim de ano deve tornar as vendas no centro de Campo Grande ainda mais atrativas?

João Carlos Polidoro - Com certeza. Nesse período, há uma circulação maior de dinheiro com a injeção de 13º salário. Só no centro, a expectativa é de que mais de 300 mil pessoas passem pelo local.  O movimento maior de consumidores atrai, infelizmente, os mal-intencionados, não só para a região central, mas para os principais corredores comerciais. Então, o reforço da segurança inibe ocorrências de furtos e é essencial para que tenhamos tranquilidade na hora das compras.

A Crítica – Qual a expectativa da ACICG com a Campanha Nome Limpo?

João Carlos Polidoro - A campanha é bastante aguardada pelos empresários, pois possibilita aos estabelecimentos o recebimento e a regularização dos créditos perdidos, a reativação de clientes antigos e, ainda, contribui para o aquecimento do mercado para as compras de Natal, faz com que o dinheiro volte a circular em nosso comércio. Este ano, temos a participação de entidades de classe, Conselhos de Arquitetura e Urbanismo (CAU) e de Administração (CRA/MS) atendendo seus clientes na estrutura preparada dentro da ACICG. No dia 11, serão atendidos exclusivamente os clientes da Uniodonto e, do dia 10 ao dia 14, a Energisa receberá seus consumidores inadimplentes na sede da ACICG. Ano passado foram mais de três mil registros de dívidas foram excluídos do sistema do SCPC durante a campanha; quase 13 mil pessoas foram atendidas para consultas a débitos somente na ACICG e mais de R$ 2,5 milhões foram recuperados para o comércio de Campo Grande. Esperamos atingir esses resultados.

A Crítica – Na avaliação do senhor, o Reviva Centro dará uma nova cara ao comércio da região central?

João Carlos Polidoro - Essa mudança já começou, em alguns trechos já é possível ver o calçadão ampliado, por exemplo. Apesar dos transtornos que toda obra provoca, após o projeto concluído a Rua 14 de Julho estará muito mais bonita e atrativa para o consumidor. Essa obra é necessária, pois o centro da nossa Cidade Morena estava decadente, perdendo espaço para os bairros e shoppings, após a revitalização, teremos atrativos para que o consumidor continue vindo fazer suas compras no mais importante shopping a céu aberto do nosso Estado.

A Crítica – Qual a expectativa do senhor em relação à gestão do presidente Jair Bolsonaro?

João Carlos Polidoro - A maioria dos brasileiros depositou seu voto de confiança nos projetos que ele apresentou à nação, visando inibir o toma lá, dá cá, a corrupção e impunidade soltas em todas as esferas. Os brasileiros vivem em um país e os políticos em outro, bem díspar. O presidente eleito Jair Bolsonaro comprometeu-se a fazer diferente e se colocou próximo dos brasileiros prometendo ser correto e justo. Entendo que 2019 é o ano da reconstrução do País, de esperança e confiança com novos pensamentos e ações opostas ao que estamos vivenciando a décadas, que deixaram o Brasil no atraso. Os mercados financeiros são o termômetro do que estar por vir e já deram sinais que teremos mudanças com reformas em áreas vitais para o Brasil sair da crise e voltar a crescer, promovendo o desenvolvimento com sustentabilidade econômica e política, gerando um ambiente favorável aos negócios para a criação dos empregos que os brasileiros tanto precisam.

fullbanner-prestacao-contas-468x60px-cmcg-nov18
Rubeola