18 de dezembro de 2018 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
Site A Critica x Sebrae - Campanha Venda mais com Whats App
CULTURA

Albino Romero é reeleito presidente da Associação Colônia Paraguaia para o biênio 2019/20

O advogado que vai para o 5º mandato também quer criar a Federação das Associações da Colônia Paraguaia no Estado

8 dezembro 2018 - 06h00Da redação com Assessoria
O advogado Albino Romero foi reeleito, no último dia 14 de novembro deste ano, para a Presidência da Associação Colônia Paraguaia para o biênio 2019/2020
O advogado Albino Romero foi reeleito, no último dia 14 de novembro deste ano, para a Presidência da Associação Colônia Paraguaia para o biênio 2019/2020 - Divulgação

O advogado Albino Romero foi reeleito, no último dia 14 de novembro deste ano, para a Presidência da Associação Colônia Paraguaia para o biênio 2019/2020, com posse marcada para o próximo dia 12 de janeiro de 2019, tendo como bandeira dar continuidade às melhorias de infraestrutura da entidade. Além dele, a nova diretoria tem ainda Silvio Cantero (diretor-vice-presidente), Noestor Jesus Ferreira Leite (1º secretário), Matheus Alves Mortari (2º secretário), Sérgio Oruê (1º tesoureiro) e Maria Irismar Alves (2ª tesoureira).

“Nossa eleição é realizada a cada dois anos e sempre com uma chapa de consenso. Neste ano, praticamente toda a diretoria foi renovada, com exceção do meu nome, do vice Silvio Cantero e do 1º tesoureiro Sérgio Oruê. Só tenho a agradecer a todos os diretores, aos conselheiros, ao grupo de oração e aos associados pelo apoio e confiança depositada em minha para mais este mandato. Prometo não decepcionar ninguém”, pontuou Albino Romero, que vai para o 5º mandato à frente da Associação Colônia Paraguaia.

Ele reforça que a sede social está sendo revitalizada graças ao convênio de fomento firmado com o Governo do Estado e Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul para melhorar o ambiente, dando conforto e comodidade para divulgação da cultura e tradição do povo paraguaio. “Me lembro muito bem que em 1972, passados quatro anos da minha chegada a Campo Grande (1968), conhecei o presidente da Casa Paraguaia, Horácio José Casartelli, que me convidou para ser o vice-presidente. Desde essa época estou na entidade, ou seja, há 46 anos”, revelou, completando que em 1989 o nome de Casa Paraguaia foi alterado para Associação Colônia Paraguaia.

Atualmente, conforme Albino Romero, são mais de 300 mil paraguaios descendentes morando em Mato Grosso do Sul, dos quais 100 mil residem em Campo Grande, enquanto o restante está distribuído por todas as cidades do Estado. “Temos uma satisfação muito grande de morar aqui há mais de 40 anos. Nas décadas de 60 e 70, o povo paraguaio sofria muito preconceito, mas hoje isso é coisa do passado e ocupamos posição de destaque na sociedade, com excelentes profissionais nas áreas da Engenharia, Medicina e Direito, entre tantas outras.

O presidente da Associação Colônia Paraguaia ressalta que, além de Campo Grande, há entidades representativas do povo paraguaio em Aquidauana, Sidrolândia, Maracaju, Dourados, Rio Verde, Nova Andradina, Ribas do Rio Pardo e Jardim. “O meu sonho é unir todas essas associações e formar uma Federação das Associações das Colônias Paraguaias de Mato Grosso do Sul.

Nosso estatuto de 1973 tem como uma das finalidades da Associação o fomento do desenvolvimento cultural guarani em todo o Estado e isso só será possível com a criação de uma Federação. É um sonho que vai se tornar realidade antes de terminar a minha gestão”, prometeu.

Outra bandeira de Albino Romero para o 5º mandato é transformar a sede em um ponto turístico de Campo Grande. “Queremos ser reconhecidos pela Embratur para que possamos receber os turistas que visitam Campo Grande. Assim que a nossa sede estiver revitalizada, vamos dar entrada na papelada para receber esse reconhecimento do Governo Federal”, revelou, garantindo que ocupa o cargo de presidente da Associação Colônia Paraguaia não por vaidade, mas por missão. “Luto pela colônia paraguaia por amor”, finalizou.

Confira abaixo a composição da nova diretoria:

Diretoria Executiva
Diretor-presidente – Albino Romero
Diretor-vice-presidente – Silvio Cantero
1º secretário – Noestor Jesus Ferreira Leite
2º secretário – Matheus Alves Mortari
1º tesoureiro – Sérgio Oruê
2ª tesoureira – Maria Irismar Alves
Diretora-social – Eliana Pereira
Diretor-cultural – Ricardo Zelada Cafure
Diretor-esportivo – Carlos Alberto Pereira Peralta

Conselho Fiscal

Titulares
Arnaldo Angel Zelada Cafure
Benito Adrian Cristaldo
César Sanches

Suplentes
Ivanir Aparecida Pulcherio
Dário Alves Corrêa

 

Reforma da sede da Colônia Paraguaia deve ser concluída em fevereiro de 2019

Graças à assinatura em 27 de junho deste ano pelo governador Reinaldo Azambuja do convênio no valor de R$ 1,4 milhão, a sede da Associação Colônia Paraguaia de Campo Grande, localizada no Bairro Pioneiros, na região sul da cidade, está sendo totalmente reformada e modernizada para melhor receber os descendentes dos paraguaios, bem como os turistas que visitam a Capital. “A cultura paraguaia faz parte da identidade sul-mato-grossense. O convênio é uma maneira de retribuir essa integração que ajudou a formar quem nós somos”, disse o governador durante a assinatura.

O secretário estadual de Cultura e Cidadania, Athayde Nery, ressaltou que o projeto técnico foi elaborado em seis meses e o valor de R$ 1,4 milhão será repassado em seis parcelas para a reforma do prédio da sede na Capital. “A maior comunidade não brasileira no Estado é a paraguaia. São 100 mil paraguaios vivendo somente em Campo Grande e mais de 300 mil descendentes em Mato Grosso do Sul. A ajuda do Estado vai ajudar a valorizar e preservar a cultura paraguaia”, ressaltou.

O presidente da Associação Colônia Paraguaia, Albino Romero, agradeceu a parceria do Governo e lembrou que o espaço é aberto à sociedade e comporta até duas mil pessoas, mas a intenção é que, após a reforma, a entidade possa receber mais visitantes, inclusive, para apreciação de comidas típicas. A Associação Colônia Paraguaia é um local que mantém a cultura e a tradição paraguaia em Mato Grosso do Sul, oferecendo vários cursos, artesanatos, danças folclóricas, entre outras atrações que marcam a tradição do país vizinho no Estado.

Segundo Albino Romero, essa é a segunda reforma pela qual passa a sede, já que em 2001 o então governador Zeca do PT também autorizou a revitalização do local. “Pelo menos 50% das obras já estão finalizadas e nossa previsão é entregar a nova sede em fevereiro de 2019. A revitalização, além de focar na acessibilidade total, inclusive com banheiros adaptados, vai ampliar a área construída, bem como o estacionamento, que terá 80 vagas”, informou.

Ele revela que o projeto inclui ainda um complexo cultural com 200 m² de área construída para oferecer diversos cursos ao lado da sede, um memorial da cultura paraguaia em Campo Grande e boxes para a comercialização de comidas típicas e artesanatos. “Ao todo, o nosso terreno tem 5 mil m² e a área construída atingirá mais de 3 mil m², já incluindo o complexo, que terá cursos de dança típicas do Paraguai, de arpa, de violão e de acordeom. Além disso, o artista plástico sul-mato-grossense Anor Pereira Mendes já está fazendo o nosso monumento, que será uma arpa, um violão e uma guampa do tereré gigantes”, pontuou, agradecendo ao governador Reinaldo Azambuja por ter acreditado na entidade e assinado o convênio para a reforma e revitalização.

Rubeola
fullbanner-prestacao-contas-468x60px-cmcg-nov18