24 de março de 2019 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
Governo - Dengue
REPRESENTATIVIDADE RURAL

Saito destaca desafios da energia para o setor rural de MS

Evento foi realizado com a presença de representantes do Sistema Famasul, da Fiems, da Fecomércio, da Assembleia Legislativa, da Aneel e Energisa

16 março 2019 - 10h02Da Redação com Assessoria
Saito destacou a necessidade de previsibilidade da distribuição e melhoria na celeridade no restabelecimento da energia no meio rural, em especial, aos setores mais impactados pelo custo elétrico como por exemplo: suinocultura, avicultura e pecuária leite
Saito destacou a necessidade de previsibilidade da distribuição e melhoria na celeridade no restabelecimento da energia no meio rural, em especial, aos setores mais impactados pelo custo elétrico como por exemplo: suinocultura, avicultura e pecuária leite - Foto: Assessoria de Imprensa

O presidente do Sistema Famasul – Federação de Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul, Mauricio Saito, discursou no painel “Como é composta a conta de energia”, do evento realizado em parceria com a Fiems, Fecomércio, OAB/MS e Assembleia Legislativa. A ação teve como foco o esclarecimento da composição da conta de energia. O evento foi realizado no auditório da Escola Senai da Construção, nessa quarta-feira (13).

Saito destacou a necessidade de previsibilidade da distribuição e melhoria na celeridade no restabelecimento da energia no meio rural, em especial, aos setores mais impactados pelo custo elétrico como por exemplo: suinocultura, avicultura e pecuária leiteira. “Essas atividades, juntamente com as que envolvem a produção de grãos, são dependentes do suprimento e da qualidade da energia, além disso, há a necessidade de celeridade no restabelecimento elétrico”.

O presidente da Fiems, Sergio Longen, destacou a relevância de discutir as tarifas: “A finalidade desse evento é para que tomemos conhecimento da composição tarifária da energia, de maneira técnica. Atualmente temos uma tarifa aceitável quando comparada a de outros estados”.

Segundo o diretor presidente da Aneel, André Pepitone, estão previstos investimentos em Mato Grosso do Sul. “Nos próximos 5 anos entrará em operação 850 quilômetros de linhas de transmissão e 900 MVA de transformação, com investimentos estimados em R$ 820 milhões. A expectativa é de que as obras de transmissão gerem, aproximadamente, dois mil empregos”, destacou.

O diretor de Regulação da Energisa, Fernando Maia, afirmou que o custo de geração de energia é elevado no Brasil e as fontes hídricas foram afetadas nos últimos anos. “Há sete anos enfrentamos uma crise hídrica, que impacta a geração de energia no país”, relatou ao lembrar que Mato Grosso do Sul tem a melhor qualidade de serviço prestado do Centro-Oeste e a menor tarifa.

Durante seu discurso, o deputado estadual e presidente da Assembleia Legislativa, Paulo Corrêa, ressaltou a importância do evento. “Quando se une aqui a Federação da Agricultura e Pecuária, a Federação do Comércio e a Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul, mostra-se o peso que esse assunto tem para a nossa economia”.

O vice-presidente da Fecomércio, Adeílton Feliciano do Prado, ressaltou que o evento é uma oportunidade de entender sobre a conta de luz e auxiliar os consumidores. “O setor do comércio vem aproveitar esse momento para discutir e entender, e quem sabe poder buscar alguma forma de ajudar todos os consumidores e todas as empresas também.

Outros líderes e representantes integraram o painel de autoridades: o diretor de gás e energia da Agepan (Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos), Valter Almeida, o diretor-secretário do Sistema Famasul, Frederico Stella; o diretor-tesoureiro, Marcelo Bertoni; o superintendente do Senar/MS, Lucas Galvan e a diretora técnica, Mariana Urt.

Últimas Notícias

ver todas as notícias

Enquete

Você considera que o uso da internet em excesso esteja incentivando os jovens a cometerem suicídio?

Votar
Resultados
Camara.ms
IPVA