04 de julho de 2020 Grupo Feitosa de Comunicação
(67) 99974-5440
(67) 3317-7890
Saraiva de Rezende - SR Construtora
AGROPECUÁRIA

Plano Safra 2020/2021 vem com mais recursos e melhores condições de financiamento

Importante para Mato Grosso do Sul, o setor sucro-energético conta agora com uma linha de financiamentos de estoques de açúcar e etanol

18 junho 2020 - 09h40
Com uma perspectiva de ampliação de área, o Plano Safra 2020/2021 traz elementos produtivos para o Estado.
Com uma perspectiva de ampliação de área, o Plano Safra 2020/2021 traz elementos produtivos para o Estado. - ( Foto: Divulgação/ SECOM MS)

Lançado nesta quarta-feira (17), o Plano Safra 2020-2021, conta com R$ 236,3 bilhões para apoiar a produção agropecuária nacional, um aumento de R$ 13,5 bilhões em relação ao plano anterior. Os financiamentos poderão ser contratados de 1º de julho de 2020 a 30 de junho de 2021.

De acordo com o Secretário de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck, as duas grandes novidades deste anos são volume de recursos e taxas de juros.

Para o Secretário alguns pontos merecem ser destacados como o Projeto Inova Agro e o estímulo ao setor pesqueiro.

Importante para Mato Grosso do Sul, o setor sucro-energético conta agora com uma linha de financiamentos de estoques de açúcar e etanol. Verruck ainda destaca a importância do Seguro Rural.

Dos mais de R$ 236 bilhões, R$ 179,38 serão destinados ao custeio e comercialização (5,9% acima do valor da safra passada) e R$ 56,92 bilhões serão para investimentos em infraestrutura (aumento de 6,6%).

Com uma perspectiva de ampliação de área, o Plano Safra 2020/2021 traz elementos produtivos para o Estado.

Os pequenos produtores rurais terão R$ 33 bilhões para financiamento pelo Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), com juros de 2,75% e 4% ao ano, para custeio e comercialização.

Para os médios produtores rurais, serão destinados R$ 33,1 bilhões, por meio do Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp), com taxas de juros de 5% ao ano (custeio e comercialização).